Vinho x Doenças – combate das doenças degenerativas e depressão

 

Agora, fim de ano é uma época gostosa onde todos querem comemorar, entretanto a preocupação com a saúde sempre deve ser levada em consideração com prioridade máxima!

Mas, aí vem a boa notícia: Quem pretende beber um vinho maravilhoso, de forma moderada,  estará não só demonstrando classe e elegância, como também apreciando o delicioso sabor do bem estar. Basta uma tacinha de vinho tinto por dia no almoço e no jantar para que essa bebida possa ter função preventiva no combate de algumas doenças.

 

Vinho Espumante

Para quem vai de vinho espumante no Ano-Novo, as boas notícias são que estes vinhos ajudam desde a digestão e os processos antiinflamatórios até a luta contra a depressão!

Os baixos teores alcoólicos junto com quantidades apreciáveis de potássio, magnésio e gás carbônico estimulam o apetite e melhoram a digestão. Isso acontece porque o corpo começa a produzir uma quantidade maior de enzimas digestivas na boca, estômago e duodeno (porção inicial do intestino).

A sua ação diurética associada a quantidades significativas de potássio e magnésio são extremamente interessantes para algumas situações clínicas, como, por exemplo, o reumatismo.

 O efeito anti-reumático ocorre porque substâncias do espumante inibem a ciclo-oxigenase, enzima que desencadeia o processo inflamatório.

 

Depressão

Que tal sair da depressão e quem sabe sentir novamente aquele frio na barriga da paixão?

A serotonina é um neurotransmissor que está diminuído no cérebro das pessoas com depressão. Mas, dentro dos vinhos espumantes há grandes quantidades de tiramina, substância precursora da serotonina.

De acordo com o Dr. Boyer e seus colegas na França, esse é o provável mecanismo antidepressivo dessa bebida. Após realizar testes, eles demonstraram um aumento significativo de serotonina e dopamina (o hormônio da paixão!) no sangue de pessoas que beberam champanhe e vinho espumante.

 

Vinho Tinto

E nada como um vinho tinto na noite de Natal, não é mesmo?

 

Após alguns anos de estudos nos Estados Unidos, Inglaterra, França e Dinamarca, os especialistas concluíram que quem bebe vinho tinto regularmente reduz em 35% o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

O motivo se deve ao fato de que o vinho é composto de cerca de 400 substâncias, algumas delas podendo aumentar o bom colesterol, evitar a oxidação das células, reduzir a formação de placas de gordura nas artérias, dilatar os vasos e melhorar a circulação.

 

Há pesquisas que indicamde que o vinho também pode combater diversos tipos de vírus, bactérias, câncer, doenças degenerativas e males decorrentes do envelhecimento.

Isto porque está comprovado que há mais de 200 compostos fenólicos, substâncias que agem como antioxidantes e antiinflamatórios, sendo a mais importante delas o resveratrol – substância produzida naturalmente pela videira para proteger os cachos de uva dos fungos e da umidade.

O resveratrol inibe o desenvolvimento de tumores, protege os neurônios, é um forte antioxidante, combate vírus e é um potente antiinflamatório.

Essa substância quase não é encontrada em vinhos brancos e espumantes, pois é localizada principalmente na casca e nas sementes das uvas, por isso é mais comum nos tintos franceses feitos com uva Tannat.

 

Vinhos indicados pela colboradora deste blog, Patrícia Berezowski Machado (SOS Webdesign), autora desse texto:

– Dois vinhos Tintos: Chono Classic 2010 Carménère  e Sur de Los Andes Malbec 2007
– Dois vinhos Espumantes: Cumbres Andinas Rosé 2010 (MS Import) e Espumante Casa Pisani Brut 2011

– Dois tintos da uva tannat: Aurora Reserva Tannat 2010 e Don Laurindo Tannat

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *