Os estilos de Vinho do Porto

Fomos instados por um leitor assíduo do blog e, em atendimento a essa solicitação, publicamos o texto que segue, sobre os diversos tipos de Vinhos do Porto. O artigo é da lavra do especialista ao final  mencionado. Integra um dos volumes da coleção “Adega Veja – Coleção Vinhos do Mundo”. Esclareço que o texto abaixo apenas dá noções básicas e não pretende exaurir a matéria nele contida. Vale à pena dar uma olhadinha, senão vejamos:

“Há diversos tipos de Vinho do Porto e todos são vinificados da mesma maneira. Ainda assim, cada um tem sua peculiaridade. O melhor é dividir os vários estilos em duas categorias principais, de acordo com o tipo de envelhecimento. Uma delas destaca o efeito da madeira sobre o vinho, como no caso do Tawnies. A outra favorece a fruta, a exemplo do Ruby, LBV e do Vintage.

Tawny – Porto corrente, obtido por lotes de vários vinhos semelhantes, envelhecido por cerca de três anos em barricas menores. O nome em inglês faz referência a alourado, porque sua cor vai alourando com o tempo, devido à oxidção pelos poros da madeira.

Tawnies com indicação de idade – são vinhos de categoria superior, de difernetes colheitas, envelhecidos em barricas menores, cuja idade média é indicada nos rótulos, nas versões 10, 20, 30 e 40 anos.

Colheita – é proveniente de uma só colheita, de qualidade, mencionada no rótulo. Envelhece em madeira por no mínimo 7 anos.

Ruby – Porto corrente, combinação de vinhos jovens, que amadurece de dois a três anos em grandes tonéis, em que a madeira exerce pouca influência, deixando destacar a fruta.

LBV – é o Late Bottled Vintage, originário dos melhores vinhedos e de uma única colheita, mencionada no rótulo. O nome faz referência ao fato de que é amadurecido por mais tempo, de quatro  seis anos, em grande tonéis de madeira e, portanto, vai para garrafa mais tarde.

Vintage – é considerado o mais nobre dos Portos. Só é produzido quando a safra, indicada no rótulo, é excepcional. Antes de declarar um Vintage, as casas produtoras precisam de aprovação da Câmara de Provadores do Instituto do Vinho do Douro e do Porto. Para preservar a fruta concedida pela generosidade da natureza, esse vinho especial não amadurece em madeira. É engarrafado logo aos dois anos e pode envelhecer por dezena de anos em garrafa “. – Fonte: Curso de Vinhos Fortificados, por José Maria Santana – Adega Veja, Coleção Vinhos do Mundo.

Porto Branco, White, também com vários estilos. Pode ser seco (Dry ou Extra Dry), meio-seco, doce ou muito doce (Lágrima).  Feito com cepas brancas locais (principalmente Viosinho, Rabigato, malvasia Fina, Codega, Gouveio, Moscatel, Arinto, Fernão Pires, Folgasão e Donzelinho), pode ser bebido como aperitivo.

Nota:  as imagens desse post são de vinhos importados por Orion Trading – telefone: 011 3331 3808

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *