Amadurecimento de vinhos sob o mar

Mar 2

VINHO SOB A ÁGUA
É  um modismo ou existe ciência por trás do envelhecimento do vinho sob a água?
Por Gregory Dal Piaz

No mundo do vinho é muitas vezes difícil  separar a moda passageira das verdadeiras tendências. Tomemos por exemplo o vinho orgânico e /ou natural. Sim há ainda um certo grau de polêmica, como o que esses termos realmente significam, mas os vinhos mudaram  há 20 anos, à margem do mundo do vinho há dez anos e hoje ocupam uma parte vital do núcleo da indústria. Há vinícolas que usam o manto natural / orgânico como uma manobra de marketing e alguns escritores de vinho tolos que continuam a questionar se o vinho natural / orgânico veio para ficar ou é apenas uma moda passageira, para juntar-se a nós no século 21.

Mar

Agora, se você quer uma moda passageira eu poderia sugerir a experiência cada vez mais popular de vinho amadurecido/envelhecido sob a água. Parece que o mar é preferível, mas qualquer corpo pode ficar sob uma certa profundidade de água? Agora eu entendo a idéia, eis que a água tende a permanecer em uma temperatura relativamente constante porque as mudanças são muito lentas, por isso dada a constância das temperaturas, é um ambiente ideal para o amadurecimento/envelhecimento do vinho, mas é realmente melhor do que o envelhecimento do vinho numa adega adequada? Alguns produtores dizem que sim, eu sou duvidoso para dizer o mesmo, particularmente à luz dos inúmeros comunicados de imprensa que cada um destes vinhos parece gerar. Jogada de marketing, ou algo mais sério? Vamos dar uma olhada em alguns dos produtores que amadurecem/envelhecem seus vinhos debaixo de água e tirar as nossas próprias conclusões!

 

Mira Winery

Lançou no mercado um Cabernet do Napa safra 2009 que foi amadurecido/envelhecido no Porto de Charleston na Carolina do Sul por 90 dias. A Mira Winery têm apenas uma questão para você resolver. Desembolsar “apenas” US$ 1.000 por uma garrafa. Bom, não se assuste, porque a vinícola tem um outro vinho que custa US$ 48,  é o Mira Napa Cabernet 2009 que não viu o fundo do mar em Charleston Harbor, isto é, não há nenhuma notícia de que tenha amadurecido sob o mar!

Bisson

Aqui está outra vinícola que teria nascido da necessidade de criar um fato novo em oposição à mesmice. A história diz que Piero Lugano, fundador da Bisson, uma loja de vinhos Chiavari – Itália, estava estudando como produzir um vinho espumante de classe mundial a partir desta região costeira da Ligúria. Sua pequena loja de varejo e adega proporcionavam pouco espaço, daí que “corretamente” virou-se para o mar. Amadurecido/envelhecido por 13 meses sob as águas calmas da costa perto de Gênova, a versão atual do espumante é da safra 2009. Cerca de 6.500 garrafas foram produzidas por “módicos” US$ 85, o que,  para um espumante italiano não é, digamos, algo ambicioso? Ainda assim, eu estou pensando em prová-lo!

Mar 4

Larrivet-Haut-Brion

Aqui está uma vinícola que tem procedimento drasticamente diferente sobre todo esse processo de envelhecimento debaixo d’água. Até aqui mencionamos produtores que amadurecem/envelhecem garrafas de vinho no fundo do mar, mas como fazer isso com barricas de vinho? Bem Larrivet-Haut-Brion envelheceu uma barrica de 56 litros, sim,  pequena, um quarto do tamanho de uma tradicional de Bordeaux, da vindima 2009 no fundo do mar, em Cap Ferret, na costa atlântica. Sepultado em uma cuba de cimento, fez-me pensar como esses caras são malucos, mas nem todo louco….é burro!  O vinho era supostamente mais suave do que o armazenado numa barrica idêntica, mas que havia permanecido nas caves do châteaux. A análise laboratorial revelou que, na verdade, o vinho que ficou no mar tinha menos álcool do que seu irmão da adega, um resultado realmente estranho! E, pasmem, o vinho tinha absorvido uma pitada de sal, que deve ter lhe adicionado alguma complexidade!

Mar 3

Espelt

Onde quer que se olhe, há praticantes adicionais desta arte submarinista, embora reconhecidamente alguns têm recebido mais fama do que outros. Tomemos, por exemplo, tentativas de Espelt de afundar 300 garrafas de vinho por 400 dias sob a água em Cap de Creus – Parque Nacional da Espanha. O que aconteceu com este vinho, Vailet (branco), ViDivi (tinto) e Escuturit Brut Cava (espumante), que foi produzido em parceria com o famoso restaurante El Bulli, num esforço comum para promover os vinhos da região da Catalunha? Talvez haja mais uma tendência de marketing simples, uma vez que este lote de vinho foi todo vendido por um único restaurante na Espanha e, a partir do que parece, principalmente em uma grande festa. Alguém pode nos dizer mais?

Château des Champs Soeurs e Abbaye Sainte Eugénie

É possível que todo esse negócio de amadurecimento/envelhecimento  sob a água pode ser mais do que simples esforços de marketing, afinal de contas, no caso em questão não podem ser ignorados os esforços colaborativos do Château des Champs Soeurs e Abbaye Sainte Eugénie na região de Languedoc da França. Durante 15 meses estes dois produtores submergiram cerca de 400 garrafas de vinho no fundo do mar por 8 meses, o que significa que deveriam ter mercado para esses vinhos que devem estar em algum lugar neste momento. Adoraria que chegasse em minhas mãos uma ou duas garrafas, se o preço permitir, é claro. Esta é, naturalmente, uma das grandes interrogações neste assunto, será que o alto custo desse procedimento vai premiar os adquirentes desses vinhos? Espero que seja uma opção acessível para aqueles que desejam ver por si mesmos que tipo de negócio é este. Deixe-me saber se você ver já provou algum vinho amadurecido assim porque vou fazer o mesmo!

Leia mais: http://www.snooth.com/articles/wine-under-water/?viewall=1 # ixzz2Yef191HY e http://www.snooth.com/articles/wine-under-water/?viewall=1 # ixzz2YeixrsEv  e  http://www.snooth.com/articles/wine-under-water/?viewall=1 # ixzz2YeiQAuG6

Gregory dal Piaz

Gregory dal Piaz do portal Snooth

Crédito das imagens: Revista Adega

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *