Chateau Jalousie Bordeaux Supérieur 2011, uma expressão de Fronsac

 

Sobre Fronsac

A oeste da cidade de Libourne, a AOC Fronsac e o minúsculo enclave de 300 ha da AOC Canon-Fronsac formam um triângulo limitado a leste pelo rio Isle e ao Sul pelo Dordogne. Nos séculos XVIII e XIX, os vinhos dali eram tão apreciados quanto os de St-Émilion, mas no fim do séc. XIX a filoxera destruiu os vinhedos, e só nos anos 70 a área começou a renascer. Os investimentos dos anos 80 e 90 trouxeram vida nova às denominações, e hoje os melhores vinhos voltaram a competir com os de St-Émilion. O solo é principalmente argila e calcário sobre um leito de argila gredosa chamada fronsadais molasse. A principal variedade é a Merlot (78%) como na maioria das AOCs da margem direita. Os vinhos têm potência e concentração naturais, mas tendem à adstringência e à rusticidade se não forem produzidos com cuidado. A colheita mais tardia e o investimento em novos barris e equipamentos de vinificação estão ajudando a erradicar esse problema. Graças à exposição geralmente Sul e o maior teor de calcário, Canon-Fronsac tem o potencial de fazer vinhos mais finos que Fronsac (que fica num platô alto, voltado para o Rio Dordogne), porém isso é raramente conseguido e a qualidade dos vinhos é variável. Fontes: Coleção Vinhos do Mundo – França – Margem Direita de Bordeaux e O Grande Livro dos Vinhos da Folha de São Paulo – Publifolha.

O Château Jalousie é importado por Cálix/Decanter

O Château Jalousie é importado por Cálix/Decanter

Degustação

Château Jalousie Bordeaux Supérieur AOC 2011 – Álcool: 13,5% – Preço: R$ 88,33 – Variedades:  Merlot (70%), Cabernet Franc (19%) e  Cabernet Sauvignon (11%) – Região: distritos de Galgon e Villegouge –  O clima local tem forte influência Atlântica e também dos rios Dordogne e Garonne, que atenuam as diferenças térmicas entre as estações e entre o dia e a noite. Vindima manual e mecânica, seleção de cachos na cantina, vinificação tradicional em cubas de aço inoxidável, isto é, não passa por madeira. Análise organoléptica: rubi violáceo de média concentração com reflexo púrpura,  pleno de aromas de frutas vermelhas maduras, notas florais, sobre uma pitada de especiarias (pimenta preta) e chocolate. No paladar, boa acidez e equilíbrio, corpo médio, taninos macios  e final frutado (graças a maior presença de Merlot) bem ao estilo “Goût de Bordeaux”, com média persistência e ausência de qualquer aspereza ou adstringência. Enfim, o conjunto revelou boa complexidade, é jovial, rico em aromas e sabores, portanto, para seu completo desfrute deve ser servido fresco (14-16º). Cresceu à mesa. Avaliação: 87-88/100 pts.

O Château Jalousie é um Bordeaux típico e redondo, detentor de relação qualidade-preço, produzido por um dos mais respeitados negociantes da região: Jean-Baptiste Audy

O Château Jalousie é um Bordeaux típico e redondo, detentor de relação qualidade-preço, produzido por um dos mais respeitados negociantes da região: Jean-Baptiste Audy

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *