Um Alentejo Diferente – Herdade do Monte Novo e Figueirinha

Alentejo 3

Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), entidade responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo no mercado português e em mercados-alvo internacionais, dirigida por Dora Simões convidou um pequeno grupo de jornalistas brasileiros para conhecimento de vinícolas no Alentejo (programa “Um Alentejo Diferente”), sob a condução de Maria Amélia Vaz da Silva, num roteiro diversificado e exclusivo, que implicou na visita de vinícolas e degustações de vinhos dessa importante região produtora de vinhos de Portugal, no período de 21 a 25 de janeiro do corrente ano. A seguir, nossas impressões sobre os vinhos Herdade do Monte Novo e Figueirinha, apresentados no recomendado Restaurante Vovó Joaquina, localizado na cidade de Beja, Alentejo, sito à Rua do Sembrano n° 57, na noite de 24 de janeiro de 2014 por José Gonçalves, Diretor Comercial. A vinícola fica em São Brissos – Beja. Por fim, os vinhos foram degustados no Restaurante Vovó Joaquina, localizado na cidade de Beja, Sul do Alentejo, sito à Rua do Sembrano n° 57. A seguir nossas impressões sobre a Herdade do Monte Novo e Figueirinha.

 

Felipe Cameirinha Ramos, da Sociedade Agrícola Monte Novo e Figueirinha

Felipe Cameirinha Ramos, da Sociedade Agrícola Monte Novo e Figueirinha

Sobre a Herdade do Monte  Novo e Figueirinha

A Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha Ltda. é uma empresa familiar, fundada em 1998, ligada ao Grupo Cameirinha, de Beja, que nasceu sob o conceito da produção de Vinho Regional Alentejano de qualidade. A herdade situa-se perto de São Brissos, onde forma plantados cerca de 40 hectares de vinha, com destaque para Trincadeira, Aragonês, Syrah, Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional, Alicante Bouschet e até Pinot Noir.  A Herdade das Fontes, situada na região da Vidigueira, dispõe de 30 hectares de vinha própria. Portal: www.montenovoefigueirinha.pt – e-mail: adega@montenovoefigueirinha.pt

Alentejo

Sobre a Vidigueira

A “falha” da Vidigueira que marca a divisória entre o Alto e o Baixo Alentejo, determina a razão de ser da Vidigueira, a sub-região alentejana situada mais a Sul. As escarpas da “falha”, de orientação Leste-Oeste, condicionam o clima da Vidigueira convertendo-a, apesar da localização tão ao Sul, numa das sub-regiões de clima mais suave do Alentejo. Os solos são pouco produtivos, predominantemente de origem granítica e xistosa. A Vidigueira alberga a Tinta Grossa, uma das variedades mais misteriosas do Alentejo que alguns apontam como heterônimo para a casta Tinta Barroca. Apesar da localização tão ao Sul, a Vidigueira foi durante anos palco privilegiado para os vinhos brancos do Alentejo, graças ao clima temperado da sub-região.

IMG-20140124-01797

A seguir a descrição e avaliação dos vinhos degustados:

Intuição Vinho Regional Alentejano 2012 – Álcool: 13% – Variedades: Antão Vaz, Arinto e Chardonnay – Preço médio em Portugal: $ 1,29 – Palha brilhante, translúcido. Aromas abertos com notas florais e minerais. Depois de algum tempo na taça notas de frutas cítricas. Boca macia, corpo magro, acidez razoável e final leve, fresco, adocicado, sem amargor. Avaliação: 85/100 pts.

IMG-20140124-01790

Herdade da Figueirinha Branco Reserva 2012 – Álcool: 12,5% – Variedades: Chardonnay, Arinto e Antão Vaz – Preço médio em Portugal: $ 1,29 – Palha brilhante, translúcido. Aromas abertos com notas florais, cítricas e minerais. Boca macia, corpo médio, acidez na medida certa e final leve, fresco, com alguma elegância e muita maciez. Final limpo, sem amargor. Avaliação: 87-8/100 pts.

O Azeite de Oliva Figueirinha, não filtrado, tem qualidade irreparável. Sem dúvida, deve ser um dos melhores de Portugal.

O Azeite de Oliva Figueirinha, não filtrado, tem qualidade irreparável. Sem dúvida, deve ser um dos melhores de Portugal porque seu sabor é inconfundível.

Espumante Figueirinha Bruto 2011 – Álcool: 12,5% – Variedades: Pinot Noir e Chardonnay em partes iguais -Preço médio em Portugal: $ 7,49 – Interessante cor salmão claro. Perlage intenso com borbulhas finas sem espuma. Aromas florais pouco intensos. Depois de algum tempo na taça notas de frutas cítricas. Boca delicada, corpo magro, ressentido-se de um pouco mais de potência/efervescência mas de bom frescor. Termina sem amargor mas com alguma austeridade. Avaliação: 86/100 pts.

Alentejo 3

Amnésia Rosé 2012 – Álcool: 13% – Variedade: Touriga Nacional – Vermelho de matiz cereja brilhante, límpido. Aromas agradáveis com frutas vermelhas em profusão. Na boca exibiu toda força da Touriga Nacional, suavemente tânico, acídulo, corpo médio e sobretudo aquilo que se espera de um bom rosé: fresco, muito fresco. Flui bem no paladar escorregadio, delicadamente frutado. Termina frutado. Avaliação: 87-88/100 pts. –

IMG-20140124-01791

Amnésia Tinto 2009 – Álcool: 13,5% – Variedades: Touriga Nacional, Syrah e Aragonês – Preço médio em Portugal: $ 2,99 – Vermelho-rubi de média intensidade. Nos aromas frutas negras, especiarias sobre uma nota vegetal. Forte na acidez, generoso no álcool, intenso nos taninos. Enfim, um vinho que tem a “pegada” típica alentejana. Perfil gastronômico. Avaliação: 87/100 pts.

IMG-20140124-01792

Herdade da Figueirinha Reserva 2009 – Álcool: 13,5% – Variedades: Trincadeira, Aragonês, Alicante Bouschet, Syrah e Cabernet Sauvignon – Concentrado e profundo na cor sem denunciar o peso dos anos. Fruta vermelha madura, especiarias sobre notas vegetais é o seu conjunto aromático. Boca no mesmo diapasão, taninos macios, acidez e álcool integrados, boa concentração de fruta num perfil firme e harmônico. Média-longa persistência. Avaliação: 88/100 pts.

IMG-20140124-01794

Fonte Mouro Reserva 2011 – Álcool: 14,5% – Variedade: Touriga Nacional – Preço médio em Portugal: $ 9,40 – Profundo e concentrado na cor como que já a denunciar a variedade empregada, a onipresente e multifacetada Touriga Nacional, que confirmou toda sua tipicidade nas notas de violeta que quase tornam seu perfil aromático unidimensional. Depois de alguns minutos, frutas negras secundadas por especiarias e notas lácteas. Boca forte, vincada, resoluta, com taninos texturados os quais encontram perfeito equilíbrio na alta acidez e no álcool generoso. Enfim, confirmou as expectativas se destacando principalmente no quesito “tipicidade”. Avaliação: 89/100 pts.

IMG-20140124-01795

Fonte Mouro Garrafeira 2003 – Álcool: 14,5% – Variedades: Trincadeira, Aragonês e Alicante Bouschet – Preço médio em Portugal: $ 15,00 Euros – Amadurecido em barricas de carvalho francês e americano durante 14 meses. Análise organoléptica: profundo, concentrado na cor  que já assinala o peso dos anos com seu nítido reflexo granada. Aromas complexos com tabaco, especiarias sobre uma nota de ameixa madura. Depois de algum tempo discreto mentolado. No paladar sua entrada revelou um vinho de taninos macios, maduros, de fina textura. Álcool e acidez elevados porém em sintonia. Toda complexidade olfativa foi confirmada na boca. Cheio de medalhas no rótulo, de fato confirmou seu nível de qualidade, com destaque no quesitos “tipicidade” e “longevidade”. Avaliação: 90/100 pts.+

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *