DSCF4570 (800x450)

No período compreendido entre os dias 12 a 17 de maio, este escriba esteve no Chile “sponte propria” para visitar vinícolas nos vales de Colchágua e Curicó. Uma das vinícolas visitadas, a AltaCima está localizada no Vale de Lontué, que é  uma sub-região do Vale de Curicó, que por sua vez integra o importante Vale Central, 200 km ao Sul de Santiago, aos pés da Cordilheira da Costa. A maioria dos vinhedos são vistos desde a estrada, onde grandes painéis de videiras se perdem no horizonte. A região apresenta clima mediterrâneo com marcada sazonalidade das chuvas, que se concentram fortemente no inverno, com uma extensa estação seca com tempo bom. A amplitude térmica oscila 15°C entre o dia e a noite o que permite a produção de vinhos muito bons. Ainda que seja um vale eminentemente vitícola, aqui existe uma grande quantidade de vinícolas.

Os vinhos fazem alusão aos vulcões chilenos
Os vinhos fazem alusão aos vulcões chilenos

Sobre a vinícola AltaCima

O Chile possui mais de duzentos vulcões. Alguns deles estão em frente à vinícola e inspiram Klaus Schröeder, enólogo alemão, a elaborar vinhos de alto nível. As linhas são identificadas por números – 6.330 e 4.090 – que remetem às altitudes dos vulcões Parinacota e Peteroa, respectivamente. Klaus vive nessa propriedade com clima de chácara. Entre a adega e sua casa (recém-transformada em casa de hóspedes), há de tudo um pouco: gansos, carneiros, galinhas, horta…”Tudo acaba na panela de dona Katha”, comenta ele. Um diferencial é que as visitas e as degustações são sempre conduzidas por um enólogo. Em muitos casos, é o próprio Klaus que toma à frente. O tour começa na sala de máquinas (escolha tipicamente alemã), onde é explicado o complexo mecanismo utilizado para prover as instalações de água quente, fria, pressão, etc.. Os engenheiros vão adorar. No fim da visita, todos os nove vinhos são degustados, o que comprova o capricho e a experiência de Klaus. Fonte: Guia de Vinícolas Chile – Flávio Faria – editora Casa da Palavra – edição 2012.

A AltaCima é uma vinícola verdadeiramente familiar. Na foto Klaus (filho), mãe e o respeitado enólogo alemão radicado no Chile desde 1965, Klaus  Schröder
A AltaCima é uma vinícola verdadeiramente familiar. Na foto Klaus (filho), Katharina Hanke e o respeitado enólogo alemão radicado no Chile desde 1965, Klaus Schröeder

 

A visita ocorreu entre os dias 14 e 15 de maio. Este escriba foi recebido por Klaus Sebastian Schröeder Hanke, Gerente Comercial da Viña AltaCima, filho do enólogo Klaus Schröeder e de Katharina Schröeder. A seguir nossas impressões sobre os vinhos degustados, que contam com assessoria enológica de Rafael Tirado, mas antecipadamente recomendamos a visita à AltaCima, porque está devidamente preparada para o Enoturismo. Basta combinar diretamente com Klaus Sebastian Schröeder Hanke, tel: 56-2-23340609 / 56-75-2471034, cel: 56-9-75897245, Skype: Klaus.schroeder.2007 – e-mail: ks.schroeder@altacima.cl  – Endereço: Ruta K-157, km 1,5 – Sagrada Família, Região do Maule – e-mail: info@altacima.cl – www.altacima.cl – 

  DSCF4613 (800x450)

AltaCima 4090 Gewürztraminer Reserva 2013 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – uma das particularidades na elaboração deste branco é que as uvas são colhidas em duas épocas distintas, na sombra, longe da intensa luminosidade, em 20 de fevereiro, ainda verdes e depois em 15 de março, quando já estão maduras. Análise organoléptica: palha claro brilhante translúcido. Aberto e intenso nos aromas com as tradicionais notas de pétalas de rosa, frutas cítricas, lichia sobre uma discreta nota esfumaçada. No paladar agrada por sua maciez, mineralidade e frescor proporcionado pela acidez delicada, bem acima da média para um Gewürz. A concentração de sabor é muito boa, toda fruta e complexidade desta exótica variedade está presente e o final é longo, persistente e o principal: sem aspereza ou amargor. Harmonizou perfeitamente com Risoto de Champignon. Avaliação: muito bom.

Nas hábeis mãos de Klaus, a Gewürztraminer brilha em duas versões: branco tranquilo e late harvest
Nas hábeis mãos de Klaus, a Gewürztraminer brilha em duas versões: branco tranquilo e late harvest. No centro um equilibrado Chardonnay

AltaCima 4090 Chardonnay Reserva 2013 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – importador: Wine & Co – Fermentado “sur lie” durante seis meses, exibiu cor amarelo palha claro com leves toques dourados. Aromas de média intensidade característicos da variedade com sugestões de abacaxi maduro, melão e banana. Na boca sua entrada revelou um branco elegante, fresco com a fruta sinalizada nos aromas confirmada. De média expansão no meio de boca, este Chardonnay é produzido com uvas de um dos setores mais frescos do Vale de Lontué, o que lhe assegura caráter vivaz e prazeroso. Termina macio, sem qualquer amargor. Avaliação: muito bom.

Gewürz
Gewürztraminer de tipicidade bem marcante, como convém!

 

AltaCima 4090 Syrah Reserva 2010 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – importador: Wine & Co – Preço: R$ 59,00 – Amadurecido em barricas de carvalho de um a três anos de idade (30% do vinho). Análise organoléptica:  vermelho-rubi com discreto halo granada em formação. No nariz despontaram os aromas típicos da Syrah no Chile com fruta em compota, especiarias (cravo) sobre uma discreta nota defumada. Na boca é um tinto de taninos macios cujo tripé álcool, acidez e madeira está em plena sintonia, resultando num vinho equilibrado, com algumas notas cárnicas que lhe conferem personalidade. Persistente no fim-de-boca, este vinho corrobora a afirmativa de que a Syrah vai bem no Chile todo. Avaliação: muito bom.

Impressionante vista do Vulcão Parinacota
Impressionante vista do Vulcão Petereoa

AltaCima 4090 Merlot Reserva 2012 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – importador: Wine & Co – Apenas 2.700 garrafas foram produzidas deste Merlot amadurecido em barricas de carvalho de um a três anos de idade (30% do vinho). Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso de média profundidade com reflexo violáceo. Aromas complexos. No início uma nota terrosa dominou mas logo cedeu espaço para frutas negras (amora, ameixas) sobre um leve toque vegetal. No paladar, a sua entrada revelou um vinho sério, de taninos presentes de boa qualidade, álcool integrado e acidez salivante, do tipo “pede comida”. Harmônico, jovem, tem plenas condições de evoluir na garrafa. A tipicidade da variedade é um de seus destaques. Avaliação: muito bom.

O Merlot exibiu a esperada tipicidade da variedade.
O Merlot exibiu a esperada tipicidade da variedade.

AltaCima 4090 Carménère Reserva 2012 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – importador: Wine & Co – Preço: R$ 59,00 – Tinto amadurecido em barricas de carvalho de um a três anos de idade (30% do vinho). Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso de média profundidade com reflexo violáceo brilhante. Aromas típicos da variedade com frutas vermelhas e negras revezando-se entre si. As combatidas notas de pirazina não são notadas neste Carménère de estrutura rica, taninos macios, acidez mediana, álcool generoso e de final persistente. Tem potencial de guarda. Avaliação: muito bom.

O Carménère também foi bem na degustação
O Carménère também foi bem na degustação

AltaCima 4090 Cabernet Sauvignon Reserva 2011 – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – importador: Wine & Co – Preço: R$ 59,00 – Tinto amadurecido em barricas de carvalho de um a três anos de idade (30% do vinho). Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso de média profundidade com reflexo violáceo. Aromas expressivos com notas que recordam licor de cassis, especiarias sobre suaves notas mentoladas. No paladar é um tinto de perfil clássico, equilibrado, com mais fruta e potência do que os tintos anteriores. Expansivo, concentrado, seu final é longo e persistente. Este vinho é prova de que a variedade está bem adaptada em todo Vale Central chileno. Avaliação: muito bom.

cHILE
Cabernet Sauvignon no Chile é sinônimo de vinho bom…

Alta Cima 6.330 Assemblage Gran Reserva 2011 – álcool: 13,5% – Variedades: Cabernet Sauvignon (48%), Syrah (31%), Merlot (9%), Carménère (6%) e Petit Verdot (6%) – região: Vale de Lontué – preço: R$ 89,00 – 40 % do vinho é  amadurecido em barricas novas de carvalho francês durante 11  meses,  30% em barricas de carvalho francês de 2 a 3 anos de uso e o remanescente é amadurecido em cubas de aço inoxidável. Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso, profundo com reflexo púrpura. Aberto nos aromas com notas de madeira de boa qualidade que cedeu espaço para frutas negras (ameixas e amoras), licor de cassis sobre um fundo de especiarias. Boca no mesmo diapasão com invejável equilíbrio gustativo. Álcool integrado, acidez na medida, fruta presente e a madeira aparece mais nos aromas do que no paladar. Um vinho redondo, macio, intenso, longo que privilegia a elegância, marcado pela fruta e pelo retrogosto persistente. Tem longo potencial de guarda. Avaliação: excelente. 

O AltaCima 6.330 é um blend gostoso e   muito harmônico, um dos melhores do Vale de Lontué
O AltaCima 6.330 é um blend gostoso e muito harmônico, um dos melhores do Vale de Lontué

 

AltaCima 6330 Late Harvest  2011 – Variedade: Gewürztraminer – Álcool: 13,5% – Região: D.O. Valle de Lontué – A fermentação começou nas cubas de aço inoxidável e terminou nas barricas de carvalho onde permaneceu durante seu amadurecimento. Análise organoléptica: amarelo dourado brilhante. O nariz é muito complexo e intensamente  aromático, com sugestões de frutas cristalizadas, especiarias doces e pétalas de rosa formando um perfil apetecível. Na boca sua entrada revelou um vinho denso, de acidez delicada e equilibrada que lhe dá frescor, sofisticação e longevidade. Doce sem no entanto ser enjoativo, é do tipo que acaricia o paladar e convida para o próximo gole. Sedoso e cremoso, Klaus esclareceu que este Late Harvest tem um grande potencial para o envelhecimento na garrafa, já que as uvas para sua elaboração são colhidas no fim do mês de junho quando já estão sobremaduras. O resultado é um vinho de sobremesa delicioso, concentrado, com toda fruta e complexidade desta exótica variedade. O final é longo, persistente e o principal: sem dulçor em excesso. Avaliação: excelente.

Conclusão

Conhecer a  AltaCima foi uma experiência memorável. Trata-se de uma vinícola verdadeiramente familiar, de pequeno porte, cuja produção anual está na casa das 90.000 garrafas, localizada no Vale de Lontuè – Curicó. No Guia Descorchados 2014, os vinhos Altacima 6330 2011, 4090 Syrah 2010, 4090 Carménère 2012 e 4090 Merlot 2012, receberam avaliações acima dos 90/100 pts. o que se constitui num inequívoco indicador de qualidade. A dica que damos para o leitor é para fazer um “tour” pela vinícola, que tem caráter eminentemente didático: a primeira “parada” será na estação de tratamento de água e fermentação. Aqui Klaus explicou o funcionamento necessário do complexo hidráulico existente para prover as instalações de água quente e fria, pressão, etc.. Em seguida, um passeio entre as cubas de aço inoxidável, barricas de carvalho e finalmente a degustação dos vinhos, quando o visitante terá oportunidade de provar brancos e tintos de excepcional qualidade nos aromas, paladar e também no bolso (Flávio Faria). Agora vem a boa notícia: os vinhos AltaCima já contam com importador regular para o Brasil: importadora Wine & Co.  www.wine-co.com.br ou contato@wine-co.com.br, que os precificou corretamente, de modo que o preço não seja impeditivo da sua aquisição, coisa rara nos dias que correm…

Klaus Schröder chegou ao Chile no ano 1965, como enólogo da Viña San Pedro (1965 - 1980) e parte de sua carreira profissional trabalhou como enólogo-chefe na Viña Errazurriz em Panquehue (1982 - 1989) e na Viña Santa Rita no período 1989 - 1996. Recibeu a máxima distinção chilena, o prêmio "Al Merito Vitivinícola" por sus aportes a la industria nacional bo ano 1996. Atualmente é consultor independente, proprietário e enólogo- chefe da Viña AltaCima , presidente da Asociación de Ingenieros Agrónomos Enólogos de Chile y un representante chileno en la UIOe (Union Internationale des Onologues).
Klaus Schröder chegou ao Chile no ano 1965, como enólogo da Viña San Pedro (1965 – 1980) e parte de sua carreira profissional trabalhou como enólogo-chefe na Viña Errazurriz em Panquehue (1982 – 1989) e na Viña Santa Rita no período 1989 – 1996.
Recebeu a máxima distinção chilena, o prêmio “Al Merito Vitivinícola” por seus aportes à indústria chilena no ano 1996.
Atualmente é consultor independente, proprietário e enólogo- chefe da Viña AltaCima,  presidente da Associação de Engenheiros Agrônomos Enólogos do Chile e  representante chileno na UIOe (Union Internationale des Eonologues).
(Visited 342 times, 342 visits today)

6 thoughts on “Vinícola chilena que vale à pena ser conhecida: AltaCima – Vale de Lontué”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *