Quanto custa uma garrafa de vinho?

  • José Peñin, famoso e respeitado crítico de vinhos espanhol publicou artigo de Mark O’Neill com o seguinte título: “Por que alguns vinhos são mais caros que outros? Quanto custa realmente uma garrafa de vinho?” Interessante matéria do El Mundo que esclarece as típicas dúvidas sobre o preço do vinho:
  • Mark O’Neill

Quanto custa realmente uma garrafa de vinho? Alguma vez você já se perguntou por que há tanta diferença de preço entre vinhos?

Os vinhos mais caros do mundo que custam centenas, talvez milhares de euros, na verdade, representam uma porcentagem muito pequena do mercado de vinho. Estes preços altos são o resultado da combinação de três fatores: origem, demanda e especulação. Para a maioria dos produtores e elaboradores, o quadro é completamente diferente, com margens estreitas à qual se acrescenta uma competição feroz.

O custo de uma garrafa de vinho é determinado pela origem das uvas, forma de elaboração e sua apresentação. Por exemplo, existe um abismo entre uvas selecionadas manualmente e a colheita mecanizada. Tampouco é correto comparar-se o custo de um 1 quilo de uvas em La Mancha ou em Bordeaux.

A demanda por uma variedade particular também afeta o preço final. Além disso, dependendo do ano, fatores como o clima pode afetar seriamente a colheita, o tamanho do grão, quantidade e qualidade das uvas e, consequentemente, frustrar o consumidor se o preço for para cima.

Para analisar o preço de uma garrafa de vinho se faz necessário entender a distribuição dos custos de produção e comercialização, que a partir do exemplo que falamos sobre o que esses custos poderiam representar uma vinícola mediana com uma produção inferior a 200.000 garrafas ao ano.

Uma garrafa que custa € 7,50 em uma loja, em um restaurante pode custar entre € 15 a € 20. Se a esse preço de €  7,50, você tirar o IVA, margem do distribuidor e os custos de distribuição é muito provável que esta garrafa tenha saído da vinícola por cerca de € 3.

A margem média do produtor é de aproximadamente 30%, sendo que € 2,10 para cobrir os custos de cada garrafa de vinho. Colheita, elaboração e armazenamento são responsáveis por aproximadamente 40% desses custos; insumos como garrafa, cortiça, cápsula, rótulo e caixa adicionam mais 40% e os 20% restantes é marketing.

Em comparação com outros negócios, a margem do produtor de vinho é pequena, o que mostra que a paixão pelo vinho é, para a maioria dos meus colegas, muito mais importante do que o benefício que vai receber por suas vendas. Ganhar dinheiro elaborando vinho é muito mais complicado do que as pessoas podem imaginar.

Quando se importa ou exporta vinhos há também custos adicionais, tais como taxas de importação e exportação, custos de transporte e se o caso, impostos sobre bebidas alcoólicas, aumentando ainda mais o preço para o consumidor final.

Gastar mais dinheiro numa garrafa de vinho nem sempre é garantia de que este vinho será superior a outro que tem preço mais em conta. É importante experimentar e descobrir novas variedades, estilos, países e regiões e, ao fazê-lo, você vai conseguir encontrar vinhos que vão te surpreender.

Mark O’Neill é o fundador da TheWinePlace.es e especialista em vinhos internacionais.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *