Os vinhos naturais de Alcohuaz – Elqui by Marcelo Retamal

2016-11-22-14-32-12

A importadora Decanter promoveu, no último dia 22.11.2016, degustação dos vinhos RHU & GRUS, de VINEDOS DE ALCOHUAZ, projeto pessoal de Marcelo Retamal, um dos mais revolucionários enólogos do Chile e um dos 30 enólogos mais influentes do mundo, pela revista Decanter. Os vinhos de VINEDOS DE ALCOHUAZ, elaborados com Syrah, Grenache, Carignan, Petite Sirah entre outras, são 100% naturais, onde a intervenção humana nos vinhedos e na adega é minima e as uvas são pisadas em lagares de pedra, como no passado. Tem amadurecimento em ovos de concreto Namblot ou foudres de 2.500 litros de carvalho austríaco. São 18 hectares de vinhas, plantadas em 2005 totalmente naturais que nascem com a mínima intervenção no vinhedo e na adega, uma gruta de pedra perfurada na montanha, no Vale de Elqui, norte do Chile. As variedades de uvas supramencionadas foram as que melhor se adaptaram às condições extremas locais e como supramencionado, são pisadas em lagares de pedra como no passado. Trata-se de um projeto único na sua originalidade, firmemente baseado nas característica do terroir local, que se caracteriza pelo clima desértico fresco de altitude, com temperatura média baixíssima anual de 9,5º C. Os vinhedos estão incrustados na Cordilheira dos Andes, em encostas de até 2.206 metros, os mais altos do país. Os céus são sempre limpos com intensa luminosidade e baixíssima pluviometria. Os solos são graníticos muito velhos do período Tríassico, em decomposição. Enfim, um terroir muito particular e singular. A seguir as descrições e avaliações dos vinhos degustados:

2016-11-22-15-12-39

GRUS de Alcohuaz Mezcla Tinta 2014 – Variedades: Syrah (50%), Grenache (36%), Malbec (13%) e Petite Sirah (1%) – Álcool: 13% – Preço: R$ 242 – vinho amadurecido doze meses em ovo de concreto e pisado a pé em lagares de pedra. Análise organoléptica: violáceo com reflexo púrpura. Aromas complexos de frutas negras e especiarias entrelaçadas harmonicamente. Na boca, sua entrada revelou um tinto tânico, expansivo, quente, concentrado e, sobretudo, de boa acidez. Vinho vertical, tenso, limpo, mineral, redondo, com boa fruta e sem madeira. Final persistente. Avaliação: 90/100 pts.+

2016-11-22-15-17-27

Cuesta Chica de Alcohuaz 2015 – Variedade: Grenache – Álcool: 13% – Preço: não disponível – vinho amadurecido vinte e três meses em ovo de concreto, e, segundo Retamal, a safra 2015 pode ser considerada “fresca”. Análise organoléptica: vermelho-rubi límpido de média intensidade. Nariz típico com muita fruta vermelha e preta sobre um fundo levemente oxidado característico da variedade. Boca no mesmo diapasão, taninos presentes, acidez acima da média proporcionando leveza e frescor ao conjunto. Quente, limpo, mineral, ligeiramente tânico, encorpado e sem amargor. Avaliação: 90/100 pts. 

2016-11-22-15-21-55

La Era de Alcohuaz 2015 – Variedade: Malbec – Álcool: 13% – Preço: não disponível – vinho amadurecido vinte e três meses em foudres de carvalho austríaco de 2.500 litros e pisado a pé  em lagares de pedra. Análise organoléptica: violáceo intenso com reflexo púrpura de acordo com os ditames da casta que é tintureira. Nariz fechado com leves tons florais. Boca macia, sabor típico da Malbec, taninos secos, acidez média/boa. O perfil é de um vinho encorpado dotado de ligeira rusticidade, mas com fruta suculenta e final secante. A tipicidade se difere bastante dos Malbecs chilenos de Colchágua e do Maipo. A boa acidez fez a diferença. Avaliação: 89/100 pts. 

2016-11-22-15-35-08

Tococo de Alcohuaz 2015 – Variedade: Syrah – Álcool: 13% – Preço: não disponível – vinho amadurecido vinte e três meses foudres austríacas de 2.300 litros. Pisado a pé em lagares de pedra. Eleito o melhor Syrah chileno para o Guia Descorchados 2017 com 96/100 pts. Análise organoléptica: violáceo quase negro com reflexo púrpura. Nariz típico da variedade ostentando fruta negra, algum tostado e especiarias como cardamomo e noz moscada. Na boca um Syrah monumental, que chega a lembrar alguns vinhos do Sul do Rhône. Denso, mastigável, tânico (excelente textura), cheio de nervo, fina suculência e uma gostosa mineralidade. No retrogosto uma gostosa nota de groselha. Final harmonioso. Avaliação: 93/100 pts. ++

2016-11-22-15-40-16

RHU de Alcohuaz Mezcla Tinta 2011 – Variedades: Syrah (75%), Grenache (18%) e Petite Sirah (9%) – Álcool: 13,5% – Preço: R$424,60 – vinho amadurecido trinta meses em ovo de concreto. Pisado a pé em lagares de pedra. Análise organoléptica: violáceo com reflexo púrpura. Floral e frutado nos aromas amplos com boa sustentação na taça. Na boca sua entrada revelou um vinho de forte acento mineral, taninos musculosos, acidez salivante e uma ponta de álcool que não desequilibra o conjunto, cujo tempo na garrafa milita em seu favor. Enfim, um blend tinto de altitude simplesmente soberbo, muito complexo e que certamente evoluíra na garrafa. Avaliação: 93/100 pts.++

2016-11-22-14-36-15

Conclusão –

Marcelo Retamal é um dos principais enólogos do momento no Chile. Graças a ele, a vitivinicultura chilena passa por um bom momento. Marcelo mostrou que na sua pequena vinícola variedades tradicionais não tem vez (ao menos por enquanto). Não por que não goste delas. Mas sim porque o terroir tem certas particularidade que a Carménère, Cabernet Sauvignon, Sauvignon Blanc e a onipresente Chardonnay não conseguem se adaptar. Com vinhedos acima dos 2.000 metros de altitude no distante Vale de Elqui, a insolação é maior e somente variedades de casca grossa conseguem se expressar. O projeto é orgânico, métodos tradicionais foram resgatados como pisa a pé em lagares de granito, variedades como a Garnacha são fermentadas em cubas tronco-cônicas ovais, tudo isso para assegurar o frescor e acidez dos vinhos, bem acima da média dos produzidos em outros vales chilenos. Aqui é o império dos procedimentos minimamente interventivos, apenas leveduras naturais e até tinajas da Geórgia (conhecidas por serem lisas, sem porosidades) foram importadas. O terroir se caracteriza pela baixíssima pluviosidade (apenas 100 mm conforme salientado por Marcelo Retamal). É um projeto de longo prazo. Em 2005 por exemplo, o terreno não possuía vinhedos. São 18 hectares de terra sendo 12 de vinhedos. A produção nunca ultrapassará 120.000 garrafas para não perder qualidade. São vinhos verdadeiramente de autor, que a Decanter acertadamente resolveu importá-los fortalecendo ainda mais seu portfólio que não é pequeno. E, Marcelo Retamal, confirmou na apresentação porque é o enólogo chileno mais festejado do momento.

Decanter LOGO_AZUL

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *