Degustação de Champagnes na Confraria Vinho & Boa Cia.

 

2017-02-14 22.28.23

Confraria Vinho & Boa Cia. reuniu-se para degustar às cegas “Espumantes em Geral”. Estiveram presentes os confrades: Ricardo, Monica, Paulo Guerra, Paulo Morais, Márcia e este redator. Ausentes justificadamente: Flavio, Cecilia, Nubia, Bibe, Chico e Laura. Convidados: José Carlos. A coordenação do mês de fevereiro de 2017 coube a Monica que elegeu o tema e o restaurante. A seguir a lista dos vinhos (degustados às cegas) na ordem crescente de preferências deste redator:

2017-02-14 22.28.44

Champagne Barons de Rothschild Brut N/V – Regiões: Verzenay, Ay, Mareuil-sur-Ay e Ouzy – Importador: PNR – Preço médio: R$ 340

2017-02-14 22.28.36

Champagne Veuve Clicquot Ponsardin Rosé Brut N/V – Região: Reims – Importador: LVMH – preço médio: R$ 349

2017-02-14 22.28.51

Espumante italiano Ferrari Maximum Brut Rosé – Região: Trento – Importador: Decanter – Preço: R$ 281,50 – 

2017-02-14 22.29.04

Champagne Moët & Chandon Rosé Imperial Brut N/V – Região: Épernay – Importador: LVMH – Preço médio: R$ 399 –

2017-02-14 22.28.31

Espumante Concha y Toro Brut – Região: Maipo – Importador: VCT Brasil – Preço médio: R$ 50 –

2017-02-14 22.28.58

Champagne Piper-Heidsieck Brut N/V – Importador: GPA – Grupo Pão de Açúcar – Região: Reims – Preço médio: R$ 199 –

2017-02-14 22.29.11

Espumante Chandon Reserve Brut N/V – Região: Serra Gaúcha – Preço médio: R$ 70 –

2017-02-14 22.28.16

A seguir o ranking da degustação de acordo com avaliação do grupo:

1°- Sparkling Concha y Toro Brut –

2°- Champagne Veuve Clicquot Ponsardin Rosé Brut N/V

3°- Champagne Barons de Rothschild Brut N/V

4°- Espumante italiano Ferrari Maximum Brut Rosé N/V

5°- Champagne Piper-Heidsieck Brut N/V

6°- Champagne Moët & Chandon Rosé Imperial Brut N/V

7°- Espumante Chandon Reserve Brut N/V

2017-02-14 22.28.31

Breves considerações sobre o resultado da degustação –

Realizada às cegas no restaurante que sucedeu o saudoso Trindade da Rua Amauri, a degustação pecou pela falta de baldes de gelo para manter os espumantes na mesma temperatura. Assim sendo, os espumantes/champagnes mantidos nos baldes gelados foram servidos na temperatura correta ao passo que alguns champagnes chegaram à mesa fora da temperatura de serviço. O que alcançou o primeiro lugar para o grupo foi um caso típico. Bem refrescado, o espumante Concha y Toro fez bonito perante os champagnes, mas se todos fossem servidos na mesma temperatura o efervescente chileno dificilmente teria ficado entre os três melhores. Enfim, se o serviço do vinho é assaz importante numa degustação de tintos, o mesmo pode ser dito para uma degustação de qualquer tipo de efervescente: Champagne, Cava, Prosecco, etc.., a ponto de um serviço ruim inviabilizar a degustação. Foi mais ou menose isso que ocorreu, pela primeira vez,  na degustação da Confraria Vinho & Boa Cia.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *