Cinco vinhos do Uruguai para harmonizar com a gastronomia outonal

Cinco Vinos

Assim como no momento oportuno apresentamos vinhos para o verão – brancos e rosados – de acordo com a leveza e frescor que o calor exigia, a mudança de estação impõe uma igual mudança de hábitos. A chegada de temperaturas mais baixas pede pratos mais elaborados e quentes. Neste artigo Pablo Rodríguez Mezzeta nos aconselha com que acompanhar esses pratos para alcançar uma maior harmonia enogastronômica.

01 P

Por Pablo Rodríguez Mezzetta para Bodegas del Uruguay –

Com a chegada do outono e o primeiros ventos frescos, lentamente, o corpo pede-nos refeições mais fortes e mais intensas e com elas, vinhos um pouco mais potentes para acompanhá-las. O vinho como tudo na vida se adapta às mudanças de clima, e, portanto, mais calor vai fazer-nos sentir melhor com bebidas frescas de baixo teor alcoólico, enquanto temperaturas mais baixas nos convidam a experimentar vinhos mais intensos.

A seguir recomendamos cinco vinhos tintos, de estrutura média e com uma excelente relação preço-qualidade para este começo de outono.

A

Prima Donna Merlot 2015 – Antigua Bodega

Que a Antigua Bodega é uma referência quanto a Merlot de qualidade, não há a menor dúvida. Este em especial tem duas caras: se mostra por momentos mui delicado aromaticamente mas tem uma estrutura que impõe uma presença impressionante na boca. Aos clássicos aromas de frutas vermelhas da Merlot se lhe somam outros tantos, como baunilha ou chocolate, aportados pela passagem em barrica francesa antes de ser engarrafado. Se você gosta de Merlot, não pode deixar passar esta opção!

A

Atlántico Sur Tannat Reserve 2015 – Familia Deicas

Um Tannat desses que gosto de chamá-lo de “manual” ou “introdutório” à variedade, já que está quase desnudo de aportes externos à sua fruta. Elaborado com uma mescla de uvas provenientes de diferentes vinhedos de variados terroirs, possui aromas de figos e ameixas frescas, acidez pujante com taninos potentes que não são agressivos. Uma pequena parte deste vinho passa por barricas usadas de carvalho francês para polir alguma aresta de taninos, mas sem mascarar a fruta. Tão versátil para acompanhar comidas variadas como para ser bebido perfeitamente sozinho. Como disse ao princípio, é um vinho ideal, porta de entrada da Tannat para aqueles que não a conhecem ou não a preferem.

A

Garzón Cabernet Franc Reserva 2015 – Garzón

Um dos novos vinhos lançados pela bodega Garzón ao final de 2016 foi este Cabernet Franc Reserva. Cor intensa e imponente, mas o que mas impacta são seus aromas. Desde especiarias às frutas maduras, de ameixas a traços herbáceos, que lhe aportam uma frescura necessária para vinhos deste estilo. Sua peculiaridade é uma passagem por barricas e toneis franceses sem tostar para tratar de conservar seus aromas próprios o melhor possível. É um vinho que combina bem com todo tipo de carnes. Particularmente, recomendo que você o experimente harmonizando massas com molhos intensos. Vocês me agradecerão!

A

Dino Dardanelli Tannat 2016 – Familia Dardanelli

Nos últimos anos a Familia Dardanelli vem apostando em ocupar um espaço no mundo do vinho fino e aos poucos está conseguindo, com lançamentos e relançamentos de linhas bem marcadas dentro de seus produtos para distintos perfis de consumidores. Neste caso vamos falar de Dino Dardanelli Tannat 2016, um Tannat de T a t, sem passagem alguma por barrica para conservar-se o mais puro e fresco possível. Nos aromas é um Tannat bem típico parco e especiado. Na boca exibe uma estrutura volumosa, claramente marcada por uma grande safra. Sem dúvida é ideal para acompanhar carnes preparadas na parrilla como vegetais assados no forno de barro.

Chiappella

Chiappella Marselán 2015 – J. Chiappella

Variedade pouco difundida no Uruguai (ao menos a nível varietal), é uma criação francesa que nasceu a partir do cruzamento da Cabernet Sauvignon e Grenache Noir na década de 1960. Esta variedade se adaptou muito bem aos nossos solos e também está presente em muitos grandes blends de gama média e alta. A bodega J. Chiappella produz este vinho faz muitos anos e pessoalmente o considero uma das referências desta variedade, já que com o decurso do tempo tem mantido um perfil claramente identificável. Cor violeta de intensidade muito alta, com aromas florais e de doces em compota, indicando de que se trata de um vinho intenso na boca, mas, ao contrário, tem taninos suculentos e agradáveis convidando a uma segunda taça sem saturar o paladar. Um tinto para quem gosta de aromas altamente explosivos.

Fonte: http://www.bodegasdeluruguay.com.uy

Uruguay

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *