Do ut Des Fattoria Carpineta Fontalpino IGT 2007

“Fattoria Carpineta Fontalpino está nas mãos da família Cresti desde a década de 1960. Gioia, 39, assumiu a propriedade com seu irmão, Filippo, 45 anos, em 1990 e imediatamente começou a replantar 44 hectares de vinhedos. Atualmente está produzindo alguns vinhos emocionantes. Na Toscana, incluindo o Dofana, uma mistura de Sangiovese-Petit Verdot que ganhou uma pontuação expressiva de 96/10 pts. apenas na sua segunda safra. “Nós buscamos a maior qualidade possível desde o início”, diz Cresti, “mas tivemos que esperar que as vinhas jovens amadurecessem para ver os resultados reais, que estão chegando agora, e a qualidade está como quero.” Cresti também trabalha como agrônomo consultor e colabora com Carlo Ferrini, um dos mais conhecidos enólogos da Toscana, em propriedades bem conhecidas como Casanova di Neri, Petrolo e Sette Ponti, além de se consultor de meia dúzia de aziendas por conta própria.

Fonte: Wine Spectator, “Relatório Especial: O Melhor da Itália: 10 Vinícolas Italianas para Assistir” em 31/10/08

2017-04-09 14.18.14

Avaliação da Wine Spectator – safra 2007

“Very ripe and intense on the nose, with prune, licorice, blackberry and flowers. Full-bodied, with chewy tannins and a long, powerful finish that offers lots of toasty oak and ripe fruit. A full-throttle style. Sangiovese, Merlot and Cabernet Sauvignon. Best after 2012. 1,650 cases made. – JS” – 94

Maremma - Toscana

Degustação –

Do ut Des Fattoria Carpineta Fontalpino IGT 2007 – Álcool: 14,5% – Variedades: Merlot (34%), Sangiovese (33%) e Cabernet Sauvignon (34%) – Região: Castelnuovo Berardenga/Siena/Toscana – Importador: Expand – vermelho-rubi límpido com reflexo violáceo. Aromas complexos com uma destacada nota de chocolate aportada pelas barricas saltando na frente para logo ceder espaço para frutas negras sobre um fundo dominado por discreto mentol. Na boca sua entrada revelou um tinto poderoso, quente, potente mas equilibrado. A madeira está presente mas não impede a expressão da fruta. O vinho está maduro, portanto, no auge da evolução, e assim deverá permanecer por mais algum tempo. Termina longo, persistente, remetendo o degustador às sensações gustativas iniciais. Avaliação: 91-92/100 pts. 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *