Os preços dos vinhos no Chile – 2017

Entre 30 de setembro a 6 de outubro deste ano, este redator participou do 11° Concurso Mundial de Bruxelas – Chile. No retorno, em atenção aos leitores que sempre fazem essa solicitação, fotografamos os preços dos vinhos existentes no Free Shop do Aeroporto Internacional de Santiago. Os preços estão grafados em US$:

Santa Rita Medalha Real no Brasil custa R$ 127

 

Santa Rita Casa Real – no Brasil R$ 746 (2012)

 

Don Maximiano 2014 – No Brasil R$ 398,99 -Vinci (2012) e 599 (2014) Grand Cru

 

Tarapacá Etiqueta Negra 2015 – No Brasil preço médio entre R$ 140 – 150

 

Undurraga Terroir Hunter (US$ 20,40) – preço médio no Brasil – R$ 180

 

Tierras Moradas Carménère no Brasil R$ 495,90 – Interfood

 

Cabo de Hornos (2014) aqui custa em média R$ 300 (safras 2010, 2011 e 2012) –

 

Altair 2011 – aqui R$ 614 safras 2010 e 2011 – Grand Cru

 

Tarapacá Etiqueta Azul 2014 – aqui em média R$ 289 (2012 e 2013)

 

Chadwick,  Seña e Kai Carménère todos 2014  respectivamente por US$ 585, 250 e 188,50 – No Brasil o Seña está por R$ 1299 (safra 2014 – Grand Cru) e R$ 1333 (safras 2012 e 2013 – World Wine). O Kai Carménère está por R$ 1299 (2014 – Grand Cru) e R$ 760,05  (2008 – Vinci). O Chadwick não foi localizado em nenhuma importadora, mas a última a trazê-lo – Vinci – o preço era  US$ 499 (safra 2011).

 

Undurraga Founder’s Collection Cabernet Sauvignon – no Brasil (Inovini) preço médio R$ 350

 

 

Undurraga Altazor – no Brasil preço médio R$ 500

 

Carmin de Peumo – no Brasil a safra 2009 está de R$ 999 por R$ 749 no portal da VCT

 

Viña San Pedro 1865 – no Brasil R$ 161,90 – Interfood

A seguir os preços dos vinhos no Duty Free – Gru (Free Shop de Guarulhos – SP):

 

No importador a safra 2013 está por R$ 250

 

 

Caballo Loco Grand Cru Maipo – US$ 58 – no importador R$ 345,05

 

 

Caballo Loco – R$ 576,63 no importador; Almaviva R$ 1.139,00

 

Valdivieso Single Vineyard Cabernet Franc – R$ 182,95 no site do importador

 

CONCLUSÃO –

Tire você mesmo suas conclusões comparando os preços do Chile (US$ – Duty Free) com os do Brasil, sem esquecer que a tributação elevada e margens de lucro excessivas concorrem para o encarecimento do preço final do vinho. Não deve ser fácil ser importador de vinhos em nosso país, mas existe “uma luz no fim do túnel”: nem todos aplicam margens exageradas. É o que se infere das imagens acima,  quando constatamos um fato que nos entristece: o preço do vinho chileno “topo de linha” não para de subir. Alguns vinhos já estão custando o mesmo preço do Brasil ou quase isso. Assim, a nossa intenção aqui não é a de denegrir nenhum importador. O que desejamos é que os  leitores encontrem aqui uma fonte segura de informações e possam decidir se vale à pena adquirir seus vinhos prediletos aqui mesmo ou em viagem ao Chile.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *