A colheita de 2017 em toda a Califórnia está sendo aclamada como excelente em um ano que testemunhou o fim de uma seca de cinco anos, bem como dos incêndios florestais no norte do estado.

Ruppert Millar para The Drink Business

Um relatório enviado pela California Wines em 9 de novembro de 2017 informa que o Departamento de Alimentos e Agricultura do estado prevê que a colheita seja de 4 milhões de toneladas no total, apenas ligeiramente abaixo das 4,03 milhões de toneladas alcançadas em 2016, com a maioria das perdas provenientes da onda de calor do verão em vez dos incêndios nos condados de Sonoma, Napa e Mendocino.

Os terríveis incêndios que destruíram as comunidades nessas três áreas em meados de outubro dominaram manchetes no mundo todo e, embora causassem grandes danos materiais e reivindicassem mais de 40 vidas, seu impacto na indústria do vinho parece ter sido relativamente leve.

Algumas vinícolas foram apanhadas pelas chamas e foram parcialmente ou completamente destruídas ou danificadas, muito vinho foi perdido, e restam alguns temores das manchas de fumaça que ainda permanecem em certas áreas(Nota do tradutor: no dia da publicação dessa matéria não há mais notícias de incêndios florestais na Califórnia) .

Jimmy Hayes, da Mayacamas, disse recentemente ao The Drink Business – Hong Kong,  temer que a safra de 2017 possa ser baixa, pois, embora o vinho estivesse em tanques, estavam expostos às chamas e fumaça e o calor era muito próximo e intenso – por isso ele não está convencido de que o líquido em questão estará em boa forma.

No geral, cerca de 85% a 90% da safra nos três municípios (Sonoma, Napa e Mendocino) foram colhidas antes que os incêndios os atingissem.

Robert Koch, presidente e CEO do Wine Institute, disse: “A grande maioria dos vinhos da safra 2017 na Califórnia em 2017 não foi afetada pelos incêndios e a colheita promete ser de excelente qualidade”.

Embora os incêndios florestais tenham sido exacerbados por uma onda de calor nos meses de agosto e setembro – o que, inversamente, promoveu o amadurecimento antecipado das videiras, 2017 também marcou o fim de uma seca no estado que correu por cinco anos.

Seguindo um período longo e seco, o retorno da chuva no inverno e na primavera trouxe seu próprio conjunto de desafios para os vinicultores agora preparados para combater o calor.

Neil Bernardi, vice-presidente de produção de vinhos da Duckhorn, disse: “exigiu-se um foco especial nas culturas de cobertura e no trabalho de plantio direto e no controle das videiras”, enquanto Eric Baugher, enólogo da Ridge Vineyards Monte Bello Winery, observou que a Zinfandel foi apanhada pela chuva durante floração o que reduziu a tonelagem final entre 15% – 40%.

No entanto, Steve Lohr, CEO da J. Lohr Vineyards, acrescentou: “Foi maravilhoso porque ajudou a encher os reservatórios e a trazer vida nova para cobrir as culturas que haviam sido ressequidas após vários anos de seca. Foi um bom ano para nós, em geral, na  Central Coast “.

Apesar dos desafios, Bernardi e Baugher disseram que estavam felizes com suas colheitas. Bernardi disse: as uvas Cabernet Sauvignon em Napa Valley e Alexander Valley parecem especialmente saudáveis.

“Nosso Pinot Noir, Zinfandel e Merlot têm excelente cor, extração e sabor e as brancas Sauvignon Blanc e Chardonnay estão apresentando excelentes aromas e grande acidez”.

Apesar das perdas, Baugher disse que a safra 2017 para a  Zinfandel parecia ter sido “extraordinária”, semelhante a 1999. “

 

Fonte: The Drink Business,  9 de novembro de 2017 por Rupert Millar – https://www.thedrinksbusiness.com/2017/11/california-2017-wildfires-high-quality-and-an-end-to-drought/

(Visited 63 times, 67 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *