O lendário produtor de Barolos, Barbarescos e Barberas Bruno Giacosa, morreu aos 88 anos em Alba, Piemonte, Itália, ao lado das filhas Bruna e Marina –

 

© Paolo Tenti | E-D: Bruno Giacosa, o “homem com o paladar de ouro,” e dois de seus famosos vinhos tintos; Conhecido como “o Mestre”, a estrela de vinho italiana criou Barolos requintados por mais de 50 anos. Um homem de poucas palavras, seu legado, no entanto, falará mais alto.

O renomado produtor de Barolos, Barbarescos e Barberas fez parte, na década de 1960, de um movimento de renovação entre os produtores piemonteses que “sacudiram a viticultura na região”. Tendo trabalhado a partir dos 13 anos com seu pai e avô na adega familiar, Bruno tomou as rédeas do negócio da família em 1960. Sua grande inovação (no final da década de 1960) foi o engarrafamento de Barolos e Barbarescos de acordo com a origem dos vinhedos, algo que nunca havia sido feito antes, numa região onde os vinhos eram tradicionalmente misturas de uvas de diferentes locais, Giacosa foi um dos primeiros defensores a expressar o caráter único dos vinhedos individuais ou únicos, ao lançar os vinhos Barbaresco Santo Stefano 1964, seguidos em 1967 pelo Barolo Colline Rionda (Vigna Rionda) e Barbaresco Asili Riserva. Foi apenas em 1982 que começou a adquirir seus próprios vinhedos (sua família já havia trabalhado como comerciantes que vendiam frutas aos produtores locais), começando por um dos lugares que se tornou particularmente associado ao seu domínio: Falletto di Serralunga d’Alba. Hoje, essa propriedade é composta por 55 acres.

 

Ao lado de Vietti, Giacosa também cultivou a variedade de uva branca nativa da região, a Arneis, e ajudou a salvá-la da extinção. Pio Boffa e Angelo Gaja, cuja propriedade era dividida com a de Giacosa apenas pela estrada de Barbaresco, respeitavam-no. Homem tímido, mas também meticuloso, perfeccionista, sem medo de desclassificar imensas quantidades de vinho quando considerava a colheita pobre, conhecia cada detalhe de seus vinhedos. Por isso, seus Barolos, Barbarescos e Barberas adquiriram uma nova dimensão para uma nova geração de bebedores e colecionadores de vinho italianos – especialmente os tintos etiquetados como ‘Riservas’. Há quem diga que Bruno Giacosa definiu um estilo de Barolo e Barbaresco que enfatizava a elegância e finesse sobre a potência, capazes de envelhecer esplendidamente. Ele nunca teve medo de inovar, mudando de cimento para aço inoxidável para fermentação e do carvalho eslavo para o francês para o amadurecimento, nunca podendo ser rotulado de tradicionalista ou modernista. Era simplesmente Bruno Giacosa, o Mestre, fazendo vinhos etéreos safra após safra, altamente procurados em todo o mundo. Giacosa morreu no fim de semana em Alba ao lado das filhas Bruna e Marina. Bruna esteve no comando da vinícola desde 2006, depois que seu pai sofreu um acidente vascular cerebral.

Fontes:  Rupert Millar para The Drink Business em 22 de janeiro de 2018 e Wine Spectator

http://www.winespectator.com/webfeature/show/id/Barbaresco-Winemaker-Bruno-Giacosa-Dies

(Visited 71 times, 84 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *