No dia 3 de fevereiro de 2018, o passo seguinte da Press Trip envolveu a visita ao Ecomuseu da Cultura do Vinho – Degustação às Cegas, Sala de Exposições, Vinhedo do Mundo, Enoteca – tudo na Dal Pizzol Vinhos Finos – Adega e Ecomuseu da Cultura do Vinho, integrante da rota das Cantinas Históricas em Faria Lemos, Distrito de Bento Gonçalves – RS, mais precisamente na  RS – 431, km 5 – CEP 95700-000. Lá chegando  o grupo foi recebido pelos proprietários, os Srs. Rinaldo Dal Pizzol e Antonio Dal Pizzol, que logo esclareceram o funcionamento do Vinhedo do Mundo, uma das principais atrações dessa vinícola, que cultiva cerca de 400 variedades de uvas viníferas de 35 países do mundo.

A vinícola Dal Pizzol nasceu em 1974 e se encontra no distrito de Faria Lemos, próximo a Bento Gonçalves, no RS. Como muitas outras famílias italianas da região sul, seus antepassados habitavam a região do Veneto, no norte-nordeste da Itália, sobretudo das sub-regiões de San Pietro di Feletto e Conegliano, esta última largamente conhecida hoje por seus espumantes Prosecco.

Por este fluxo migratório ter sido majoritariamente seletivo, podemos então dizer que se São Paulo é a capital da pizza, por ser ocupada por calabreses e napolitanos, o Rio Grande do Sul só podia ser a capital do vinho.

É uma vinícola-boutique em Faria Lemos, Bento Gonçalves, que elabora  aproximadamente 28 mil caixas de vinhos por ano, além de uma pequena produção de suco de uva. Entre as variedades de uvas usadas aqui estão Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Pinot Noir, Tannat, Ancellotta, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Gewürztraminer, mas um dos destaques é a uva portuguesa Touriga Nacional, que dá um excelente vinho tinto. A ampla propriedade conta com um restaurante (que atende apenas com reserva), lagos encantadores, uma coleção de plantas exóticas e a enoteca Dal Pizzol, que abriga grande volume de safras antigas. Tem por Enólogo Dirceu Scottá, ex-presidente do Ibravin, da A.B.E. e Enólogo do ano pela mesma A.B.E. em 2012.  Fontes: André Logaldi e o Grande Livro dos Vinhos – Informações atualizadas de mais de 4.000 vinícolas em todo mundo. Publifolha – Edição 2012

Gastronomia ao ar livre é um dos apelos da Dal Pizzol

 

Imagens do Ecomuseu da Cultura do Vinho Dal Pizzol –

Vinhedo do Mundo Dal Pizzol –

Há oito anos a cena se repete, sempre com um grupo seleto de convidados. Este ano, pela primeira vez, a Dal Pizzol Vinhos Finos e o Instituto R. Dal Pizzol abriram a experiência ao público. Apenas 40 pessoas tiveram o privilégio de participar no sábado, 3 de fevereiro, da Colheita Simbólica do Vinhedo do Mundo – uma das três maiores coleções de uvas privada do planeta. O encontro aconteceu no Ecomuseu da Cultura do Vinho, em Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves.

Cada participante teve a oportunidade de colher uma variedade de uva entre as 400 de 35 países de todos os continentes que compõem o acervo. Chamados individualmente, todos foram vestidos a rigor, com avental e chapéu, e munidos de uma tesoura específica para a colheita. Entretanto, somente uma variedade de uva foi colhida por cada pessoa de forma simbólica (este redator colheu a variedade Búlgara Mavrud, foto abaixo).

Além de comemorar mais uma vindima (2018) e promover a oitava edição da Colheita do Vinhedo do Mundo, a Dal Pizzol celebrou o patrimônio da cultura do vinho. “O momento é realmente de celebrar. Estamos vivendo uma safra de maior qualidade. O Vinhedo do Mundo é a prova de que o vinho é um produto cultural carregado de emoções. Certamente, o que está no cálice é 30%, os outros 70% estão fora dele”, enfatizou Rinaldo Dal Pizzol, presidente do Instituto R. Dal Pizzol e diretor da Dal Pizzol Vinhos Finos. O grupo participou de um almoço a céu aberto, à sombra de árvores nativas e frutíferas que integram o Ecomuseu da Cultura do Vinho. O brinde final ficou com o VINUMMUNDI 2017 (abaixo descrito e avaliado), elaborado com 184 variedades de uvas do Vinhedo do Mundo, dentre elas Kadarka (Hungria), Chuscia Sciavi (Geórgia), Prokupac (Yugoslavia), Caladoc (França), Xare-lo (Espanha), Morio Muskat (Alemanha), Kyoho Hayakawa (Japão), além das clássicas Cabernet Franc, Merlot, Pinot Noir, Touriga Nacional, Tannat, Ancellotta.

Enólogo Dirceu Scottá

As uvas desta coleção, no final da colheita, serão vinificadas em conjunto, cujo vinho, o VINUMMUNDI 2018, será apresentado na colheita de 2019. Segunda a vinícola Dal Pizzol, o VINUMMUNDI é um vinho cultural, que não é comercializado, ou seja, expressa e simboliza a solidariedade dos povos e suas culturas. A programação contou, ainda, com visita a Sala de Exposições e a Enoteca, antiga olaria da família onde são armazenados somente vinhos elaborados pela Dal Pizzol desde a primeira safra da vinícola. A seguir descrições e avaliações dos vinhos degustados no dia 03.02.2018:

Espumante Dal Pizzol Moscatel – Álcool: 7,5% – elaborado pelo método Asti, coloração amarelo-palha com reflexo esverdeado, perlage persistente, borbulhas finas e intensas, aromas nitidamente floral, lembrando flores brancas, jasmim e favo de mel. No paladar, apresenta corpo leve com equilíbrio entre açúcar e acidez. Persistência media/curta. Avaliação: muito bom 

Espumante Dal Pizzol Brut – Álcool: 12% – Variedades: Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico – elaborado pelo método Charmat longo, que possibilita um período maior de contato das leveduras. Na flûte, exibiu cor amarelo-citrino, de perlage fino, bolhas pequenas e persistentes. Aromas de média intensidade a lembrar frutas cítricas e tropicais, notas florais e leve nota de pão fresco. Na boca é seco, boa acidez e alguma cremosidade e se expande em aromas de frutas cítricas e tropicais, terminando com persistência média-curta, sem amargor. Avaliação: muito bom

 

 

Espumante Dal Pizzol Brut Rosé 2014 – Álcool: 12% – Variedades: Chardonnay e Pinot Noir – elaborado pelo método Charmat longo, que possibilita um período maior de contato das leveduras. Na flûte, exibiu atraente cor salmão límpido e brilhante, perlage fino, bolhas pequenas e persistentes. Aromas de média intensidade a lembrar frutas vermelhas e leve nota de panificação. Na boca é seco, boa acidez e alguma cremosidade e se expande em aromas de frutas vermelhas, terminando fresco, cítrico e de persistência média-curta, sem amargor. Avaliação: muito bom

 

Espumante Dal Pizzol Brut Método Tradicional 2014 – Álcool: 12% – Variedades: Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico – teve 36 meses de autólise, na flûte coloração amarelo-palha de média intensidade, perlage fino e constante, formando uma consistente coroa de espuma. Aromas de média intensidade, notas de frutas brancas, leveduras sobre tostado. Na boca a sua entrada revelou um efervescente seco, macio, de excelente acidez, boa formação de espuma, expansivo com aromas de boca consistentes e consistente cremosidade. Termina com média persistência, sem amargor. Curiosidade: no contra-rótulo consta a seguinte frase “manuseie com cuidado, conteúdo sob pressão”, o que não deixa de ser importante, uma vez que a rolha é expulsa da garrafa por pressão de cerca de seis atmosferas e se não houver cautela na abertura, o seu espocar poderá machucar alguém que estiver por perto. Na nossa opinião, essa frase deveria ser obrigatória em todos espumantes produzidos e comercializados no Brasil. Avaliação: excelente

Dal Pizzol Chardonnay 2017 – Álcool: 12% – Palha esverdeado. Leve floral, cítrico e abacaxi. Paladar de médio corpo, álcool na medida certa, menos frutado do que o anunciado pelo nariz, termina limpo, com média persistência. Avaliação: muito bom  

Dal Pizzol Ancellotta 2014 – álcool: 13% – vermelho-rubi de média profundidade. Aromas primários: muita fruta vermelha e negra nos aromas. Taninos presentes de boa qualidade. Álcool na medida certa e acidez correta. Tem a rusticidade própria da casta, mas seu equilíbrio gustativo torna-o um tinto fácil de beber, de boa tipicidade e uma boa opção para quem desejar conhecer essa variedade. Avaliação: muito bom

Dal Pizzol Cabernet Franc 2015 – púrpura brilhante, muita groselha e ameixa nos aromas. Aveludado, macio e sem passagem por madeira, este típico Cabernet Franc demonstra o talento de Dirceu Scottá, um dos mais capacitados enólogos brasileiros da atualidade. Um tinto que cresceu à mesa, mas que pode ser desfrutado sozinho. Avaliação: excelente

VinumMundi 2017 – Blogdojeriel.jpg

Dal Pizzol VinumMundi 2017 – Álcool: 13,5% – Região: Bento Gonçalves – Garrafa 500 ml – sem passagem por madeira, blend de 184 variedades cultivadas na coleção de cultivares denominada “vinhedo do mundo” da Dal Pizzol, onde variedades brancas e tintas são plantadas com sucesso destinadas à micro-vinificação, quando algumas são vinificadas em separado. A produção é diminuta – apenas seiscentas garrafas produzidas. Na taça, um tinto de cor vermelho-rubi brilhante de média intensidade. Os aromas são nitidamente primários com as frutas vermelhas saltando na frente. No paladar, os taninos chamam atenção, mas não chegam a desequilibrar o conjunto de corpo médio, boa concentração de sabor e fim de boca persistente. Avaliação: muito bom

Rinaldo Dal Pizzol, Dirceu Scottá e Antonio Dal Pizzol – crédito da imagem: Blogdojeriel.jpg

 

Vinho Dal Pizzol Vino Mundi –

 

Excelente exemplar da variedade portuguesa Touriga Nacional elaborado pela DalPizzol – Blogdojeriel.jpg

 

ENOTURISMO – 

Não há dúvida de que a vinícola Dal Pizzol, nos tempos atuais, esteja muitíssimo bem preparada para o Enoturismo. O que reforça esse argumento é o grande número de atrações oferecidas ao visitante: Ecomuseu Cultura do Vinho, Ristorante Enoteca Dal Pizzol, Degustação às cegas nas dependências da loja, Sala de Exposições, ambiente com animais silvestres e domésticos além de árvores ornamentais, nativas e frutíferas e o famoso Vinhedo do Mundo, que pode ser visitado por enófilos, estudiosos e interessados de segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h30. Para grupos é preciso agendar reserva pelo telefone 54 3449.2255 ou e-mail dalpizzol@dalpizzol.com.br. A vinícola Dal Pizzol integra a “Rota das Cantinas Históricas”, composta por diversos Pontos Turísticos no distrito de Faria Lemos, em Bento Gonçalves, Serra Gaúcha. São locais nos quais o turista encontrará as melhores atividades para visitar com sua família, cheios de atrativos para pessoas de todas as idades, inclusive crianças. Nessa rota, as vinícolas retratam a vida dos colonos – descendentes de italianos do Vêneto em sua expressiva maioria – em uma experiência que vale à pena conhecer. Na Dal Pizzol por exemplo, o clima era de otimismo, uma vez que na safra 2018  tudo aconteceu na medida certa com poucas chuvas, dias quentes e noites frias, ideais para uma excelente maturação fenólica. Ou seja, uma excelente safra que foi comemorada no lançamento do vinho Dal Pizzol VinumMundi 2017, já que a safra 2018 será lançada somente no ano que vem.

Espaço para crianças na vinícola Dal Pizzol – Blogdojeriel.jpg

 

SERVIÇO –

Vinícola DAL PIZZOL

RS 431, km 5 – Distrito de Faria Lemos, Bento Gonçalves/RS – Rota Cantinas Históricas

Telefone: 54 3449.2255

E-mail: dalpizzol@dalpizzol.com.br

Portal: www.dalpizzol.com.br

 

(Visited 108 times, 125 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *