Mancura, o Condor Mítico dos Andes
Mancura é uma ave do hemisfério sul,  encontrada desde a Venezuela até o Cabo de Hornos em altitudes entre 400 e 4.500 metros. É conhecida por ser a maior do planeta, com um voo particularmente impressionante e de grande longevidade. É um símbolo reconhecido nas culturas pré-colombianas como o guardião das colheitas, vigiando os céus sobre as cadeias montanhosas. Na cultura Inca, dizia-se que era responsável pelo sol nascer todas as manhãs, porque tinha tanta força que podia agarrar a estrela e erguê-la acima das montanhas para iniciar o ciclo da vida.

A meio caminho entre a costa e o centro do país, o vale de Casablanca recebe muito sol e também a fria brisa do oceano. Daqui têm saído vinhos brancos premiados, ricos em cores e aromas. Tintos de Pinot Noir também se destacam e a Syrah começa a produzir vinhos interessantes no frio de Casablanca. Crédito da foto: Revista Adega

 

 

Degustação –

Mancura Leyenda de Los Andes Gran Reserva Casablanca 2012 – Variedades: Syrah (82%), Cabernet Franc (8%), Merlot (10%) – Álcool: 14% – Região: Vale de Casablanca – Preço: R$ 100,40 (esta garrafa em 26.04.2018 custou R$ 46,80) –  importador: Wine.com.br – de fato neste vinho podemos confirmar que as variedades francesas Syrah, Cabernet Franc e Merlot têm boa adaptação ao frio Vale de Casablanca. O produtor informa que: “A fruta desempenha um papel muito importante, complementado pela sua frescura, acidez agradável e período de amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês. Os taninos são poderosos e cada variedade contribui com características únicas para produzir um ótimo vinho”. Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso com discreto halo granada em formação. Aberto nos aromas de groselha, mentol, frutas negras sobre um fundo balsâmico. Na boca, sua entrada revelou um tinto de sólida estrutura de taninos, muito macios. Jovem, potente, encorpado, não parece ter seis anos! O álcool generoso encontra contraponto na acidez e a madeira está presente mas não chega a incomodar. Ao longo da degustação foi abrindo, ficando fácil de beber. O fim-de-boca é persistente e deixa uma refrescante nota mentolada. Avaliação: 89-90/100 pts. +

(Visited 106 times, 108 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *