Uma das principais cooperativas da França, a Plaimont Producteurs, conseguiu reconhecer oficialmente a antiga variedade francesa Tardif.

A uva, pensada ter sido extinta em razão da filoxera há muito tempo, deve ser listada mais uma vez no catálogo oficial de variedades permitidas na França e produzirá vinho para produção comercial até 2020.

Tardif foi uma das 21 antigas variedades da Gasconha redescobertas em 1999 pelo pesquisador de Plaimont, Jean-Paul Houbart, em uma pequena vinha na aldeia de Sarragachies.

Conhecido como o vinhedo de Pédebernade, com menos de um hectare de tamanho, escapou da filoxera por causa de seus solos arenosos – algo que mantém o pulgão afastado.

Pensa-se que as vinhas mais antigas remontam à década de 1830 e, além de Tardif, havia variedades que são completamente desconhecidas até em seus países de origens, fato que a equipe da Plaimont ainda está tentando desvendar.

Variedade autóctone, Tardif tem um desenvolvimento vegetativo lento e tende a atingir apenas maturidade plena no final de outubro até o início de novembro.

Também tem uma quantidade significativa de Rotundone, um composto que causa aromas picantes, apimentados.

Tardif está relacionada à uma das variedades desconhecidas também encontradas na vinha pré-filoxérica, Pédebernade 4.

Preservada e propagada em uma parcela experimental em Aignan desde 2015, cerca de 1.500 novas vinhas serão plantadas no próximo ano, com a primeira colheita preparada para 2020.

Nadine Raymond, coordenadora técnica da Plaimont para ampelografia e vinicultora das variedades redescobertas, comentou: “Estamos muito satisfeitos em podermos reintroduzir uma variedade autóctone de alta qualidade. O berçário está indo muito bem e estamos ansiosos para plantar na próxima primavera “.

Para começar, Plaimont Producteurs provavelmente usará Tardif em misturas, como fez com outra variedade antiga defendida por muitos anos, Manseng Noir.

A cooperativa agora tem 40 hectares de videiras de Manseng Noir e a mistura com Merlot em um dos seus vinhos IGP Côtes de Gascogne. No entanto, espera fazer um 100% Manseng Noir nos próximos dois anos.

Publicado em 14 de setembro de 2017 no  https://www.thedrinksbusiness.com/2017/09/long-lost-variety-tardif-to-be-officially-recognised/          Autor: Rupert Millar

Rupert Millar

 

(Visited 53 times, 55 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *