A importadora Vind’Ame promoveu, na noite de 6 de julho, degustação de vinhos do Piemonte de seu portfólio. A degustação foi coordenada pelo Diretor Michael Chütte, que de forma didática teceu considerações sobre os produtores e respectivos vinhos, de maneira detalhada, mostrando conhecimento e intimidade com cada um dos produtores. A seguir as descrições e avaliações:

Albino Rocca Barbera D’Alba Gepin 2012 – Álcool: 14,5% – Preço: R$ 279,20 – vermelho-rubi intenso com reflexo violáceo. Aberto, intenso e complexo nos aromas com agradável traço de fruta vermelha (cereja), especiarias, tostado sobre um fundo ligeiramente defumado. No paladar, evidencia desde logo taninos macios, acidez plena a provocar intensa salivação e confirmação da fruta presente nos aromas. Há traços terciários, álcool generoso sem desequilibrar, acento mineral e no persistente retrogosto, uma nota de fruta em compota. Um Barbera de exceção, de perfil clássico com a elegância dando o tom. Está pronto para o copo! Avaliação: 90-91/100 pts.

Franco Francesco Barolo DOCG 2o10 – Álcool: 14% – Preço: R$ 271,20 – O produtor Francesco está sediado em San Damiano d’Asti (AT), região não incluída no disciplinar de Barolo. Trata-se de adega rodeada de vinhedos pitorescos, no território único entre Monferrato, Roero e Langhe. Possui mais de 100 anos de tradição vinícola transmitida por gerações. Tem uma base importante que permite uma produção de vinhos de qualidade com picos de excelência. Sobre a elaboração deste Barolo, o produtor informa que, após a fermentação alcoólica, o vinho é colocado diretamente em barricas de carvalho da Eslavônia onde ocorre a fermentação maloláctica. Depois de três anos o vinho é engarrafado. Análise organoléptica: vermelho-rubi com alguma turbidez e reflexo de granada. O perfil aromático é terciário com alcatrão, terroso, especiárias sobre toques defumados e de madeira. Mostra bom corpo na boca, com alguma finesse por força da suavidade de seus taninos que enchem a boca sem amargor. Este barolo se encontro num ótimo momento da sua evolução. Termina longo e equilibrado. Avaliação: 91/100 pts.

Albino Rocca Barbaresco DOCG 2013 – Álcool: 14% – Preço: 14% – Preço: R$ 375,20 – A propriedade de Albino Rocca possui 18 ha que se espalham entre as comunas de Barbaresco, Nieve e San Rocco Seno d’Evio, o coração da região de Barbaresco. Administrada atualmente por Angelo Rocca, a Albino Rocca produz dois Barbarescos notáveis. Vigneto Brichi Ronchi é um Nebbiolo elegante, generoso e flexível; Vigneto Loreto é um vinho de estilo mais tradicional, amadurecido em grandes barricas de carvalho e com grande capacidade de envelhecimento. Albino Rocca também produz um dos melhores Chardonnay do Langhe: Da Bertu, um expressão vivaz e com alta acidez do solo da região. Fonte: O Grande Livro dos Vinhos Editora Publifolha – agosto de 2012 – Análise organoléptica: granada límpido, brilhante, translúcido. Nos aromas, evidencia desde logo um rico leque de aromas com uma nota floral a se destacar, para logo ceder espaço para especiarias (pimenta-do-reino), cogumelo, sobre um fundo lácteo com ampla sustentação. Paladar seco, refinado, com taninos delicados, corpo pleno, acidez ideal, enfim, um tinto que impressiona por sua elegância, tipicidade, grande qualidade, longa persistência tudo a evidenciar um vinho de longa guarda, que justificou a fama. Avaliação: 93/100 pts.+

Oddero Barolo DOCG 2009 – Álcool: 14,5% – Preço: R$ 413,60 – Oddero é uma casa vinícola entre as principais propriedades do Langhe e com posições de absoluta importância nessa região e que produz um bom Barolo. Com a chegada de um novo enólogo na década de 1990, entre os mais preparados e competentes de toda a Itália, possibilitando aos conhecedores relembrar alguns picos do passado. Como um sinal concreto de compromisso renovado, as videiras Barbera foram compradas em Vinchio, uma posição de privilégio absoluto na área de Asti. Análise organoléptica: encerrando essa prazerosa degustação um Barolo simplesmente…..soberbo!!! ….muito próximo do ideal com uma formidável paleta de aromas, um paladar cheio de camadas com taninos muito bem definidos, aveludados, sem pontas, sem arestas, sem defeitos. Um vinho clássico, solidamente estruturado com uma década ou mais anos de vida na garrafa quando ganhará mais finesse. De fato, o Barolo quando o produtor é sério pode ser apontado como um dos grandes vinhos, certamente entre os melhores do mundo. Um colosso, emoldurado por taninos que lhe garantem uma longa estrada pela frente. Avaliação: 95/100 pts.++

(Visited 72 times, 73 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *