No dia 11 de agosto de 2018, os participantes da Confraria Esvaziando a Adega reuniram-se para degustar os vinhos abaixo descritos e avaliados. A seguir a ordem das preferências dos degustadores, destacando que a prova transcorreu às cegas, no Zeffiro, com o almoço perfeito: cordeiro à portuguesa como destaque. Dela participaram, além deste redator, os confrades José Luiz,  Lucas, Clóvis e Eduardo Norya.

Cava Gran Codorniú Rosé Brut – Variedade: Pinot Noir – Álcool: 12% – Região: Cataluña/Sant Sadurní D’Anoia/Barcelona – safra: 2013 – Salmão claro brilhante. Perlage fina e delicada. Borbulhas diminutas com boa intensidade. Complexo e balanceado no olfato com frutas vermelhas em primeiro lugar. Depois uma destacada nota mineral passa a dominar o conjunto que é bastante convidativo. Na boca confirma a elegância sinalizada no nariz. Cremoso, estruturado, expansivo, no palato o que o diferencia é o frescor aliado à fruta sutilmente envolta por sua mineralidade, traço característico dos cavas de boa qualidade. Final longo, marcante, persistente. Avaliação: 90/100 pts.+

Cousiño-Macul Merlot Reserva 2003 – BlogdoJeriel.jpg

Cousiño-Macul Merlot Reserva 2003 – álcool: 14% – região: Vale do Maipo – importador: Santar – o mais antigo da vertical exibiu cor granada com nítida turbidez. Aromas francamente terciários com notas animais, café torrado sobre um fundo terroso. Na boca deu sinais de cansaço. Taninos delicados, álcool integrado e acidez desequilibrada. Terminou curto, sem amargor. Seu auge já passou e o fim de sua vida útil está por se aproximar. Avaliação: 80/100 pts.

Cousiño-Macul Merlot Reserva 2004 – Blogdojeriel,jpg

Cousiño-Macul Merlot Reserva 2004 – álcool: 14% – região: Vale do Maipo – importador: Santar –vermelho-rubi límpido com intenso halo granada nas bordas. Nos aromas toques de evolução: couro, tabaco sobre fruta em compota (reminiscência de goiabada). Na boca taninos macios, de boa qualidade emoldurados por notas de chocolate amargo. Leve sobra de álcool. Acidez média. Final herbáceo. Seu auge também já passou, mas não deu sinais de cansaço como o exemplar da safra anterior. Avaliação: 86/100 pts.   

Cousiño-Macul Antiguas Reservas Cabernet Sauvignon 2004 – BlogdoJeriel.jpg

Cousiño-Macul Antiguas Reservas Cabernet Sauvignon 2004 – álcool: 13,5% – região: Vale do Maipo –Vinho emblemático que resulta na escolha de uma das melhores seleções de uvas Cabernet Sauvignon da vinícola. Seu estilo é clássico, combinando a madurez do Novo Mundo, a elegância dos vinhos tradicionais e uma estrutura que permite uma grande capacidade de guarda. Amadurece em barricas de carvalho francês. Análise organoléptica: vermelho-rubi com reflexo granada a denotar alguma profundidade. Aromas típicos da casta com notas de pimentão, frutas vermelhas e negras em compota e ligeiro tostado sobre um fundo herbáceo/mentolado com boa sustentação na taça. Boca a subscrever o olfato. Fluído e com a madeira integrada aos demais elementos, é um vinho de corpo bom, elegante e sobretudo harmonioso. Um tinto muito bom, verdadeiro clássico chileno, que mais uma vez justificou sua fama de consistente, regular, longevo, representativo do terroir local que demonstra domínio pleno domínio da cepa. Atraente relação preço-qualidade, eis que poderá ser encontrado nas grandes redes de supermercado. Avaliação: 89-90/100 pts.

Sobre a Cousiño-Macul

Fundada em 1856 e localizada na região metropolitana de Santiago, a CousiñoMacul é a única vinícola das que se estabeleceram no Chile no século XIX que ainda se encontra nas mãos da família fundadora (sexta geração), a qual controla cem por cento da empresa. O nome da vinícola deriva do nome de seu fundador, “Don Matías-Cousiño”, que também é o nome da área onde se desenvolveu sua primeira sede, no Vale do Maipo. De outra parte o termo “Macul” é de origem indígena e significa “mão direita”. Olhando cuidadosamente o símbolo, veremos que o mesmo está formado pelas iniciais do nome da família fundadora, que teve papel fundamental na indústria de vinho chileno porque foi uma das primeiras a exportar sua produção para países como os Estados Unidos da América, países da América Central e Brasil, por exemplo. A missão da vinícola é produzir vinhos de classe mundial sem perder a alma chilena destacando todo caráter do terroir do Alto Maipo.

Sobre a vertical –

Uma vertical cheia de surpresas. Escolhemos as garrafas mais antigas da nossa adega e mais uma vez este clássico chileno que é o Cousiño-Macul não nos decepcionou. Desta vez incluimos dois Merlots que anos atrás eram denominados apenas como “Reserva” mas que depois passaram a integrar a linha “Antiguas Reservas”. E um autêntico Antiguas Reservas Cabernet Sauvignon da safra 2004, a coincidir com a mesma safra de um dos Merlots (2004). Na vertical o Merlot 2003, conservado nas mesmas condições dos outros dois vinhos ficou em último lugar simplesmente porque deu nítidos sinais de que sua vida útil está bem próxima do fim. No confronto Merlot x Cabernet 2004 o Cabernet Sauvignon confirmou sua longevidade superior a Merlot no Chile. Enfim, a conclusão é de que a linha de vinhos Cousiño-Macul Antiguas Reservas é uma das mais confiáveis do mercado. Tanto um como outro atinge facilmente os 10 anos, desde que bem conservado. Com preço bem abaixo de R$ 100, é detentor de inequívoca relação preço-qualidade.

(Visited 76 times, 84 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *