Wines of Uruguay promoveu, no dia 14 de agosto de 2018, em São Paulo, evento denominado Tannat Tasting Tour São Paulo 2018 com a presença de treze produtores do Uruguai. A seguir informações sobre as Bodega Pizzorno, representada na oportunidade por  Francisco Pizzorno.

No Brasil os vinhos Pizzorno podem ser encontrados nas lojas da Grand Cru

Sobre a Bodega Pizzorno –

Fundada em 1910 pelo imigrante italiano Don Próspero José Pizzorno. Carlos Pizzorno, seu neto, deu continuidade ao legado familiar sem perder de vista a tradição, eis que a vinícola adaptou-se aos tempos atuais com a utilização das técnicas mais modernas de cultivo da videira, na elaboração dos vinhos e na excelência tecnológica. Carlos faz questão de enfatizar a influência marítima, eis que seus vinhedos estão muito próximos do Atlântico: “isso determina uma grande amplitude térmica entre o dia e a noite no momento de amadurecimento das uvas, que reflete diretamente na intensidade e concentração dos aromas e sabores de nossos vinhos”. Importante destacar que Carlos conta com a assessoria do enólogo da Nova Zelândia Dunkan Killiner, e isso pôde ser observado no estilo de seus vinhos, principalmente Sauvignon Blanc, elaborado com uvas de vinhedos próprios, assim como as utilizadas nos demais vinhos. Carlos também conta com o auxilio do Enólogo Marcelo Laitano, há dezessete anos trabalhando na Pizzorno. Outra informação importante é sobre a procedência das barricas: além das conhecidas barricas americanas e francesas, são utilizadas barricas da Polônia e da Hungria, eis que comprovadamente aportam maior complexidade aos vinhos. A produção total da Pizzorno oscila entre 140.000 a 160.000 garrafas-ano. A seguir as descrições/avaliações dos vinhos provados, esclarecendo que o serviço do vinho foi gentilmente executado pelo Sommelier Vitor Fernandes,  que não se furtou a dar explicações sobre os vinhos:

Pizzorno Tannat Maceração Carbônica 2018 – Blogdojeriel.jpg

Pizzorno Tannat Maceración Carbónica 2018 – Álcool: 13,5% – RegiãoCanelones – Sub-região: Canelón Chico – Importador: Grand Cru – Preço: R$ 74,90 – uma variação do processo de maceração é a maceração carbônica. As uvas são prensadas e mantidas em um recipiente lacrado. O próprio peso dos cachos faz com que algumas uvas sejam espremidas e comecem a fermentar, liberando dióxido de carbono (gás) e aumentando a pressão no recipiente. Essa pressão permite que a fermentação aconteça dentro das uvas, produzindo vinhos com pouca cor, aromáticos, macios e que precisam ser bebidos jovens. O Beaujolais Nouveau é um exemplo de vinho feito por maceração carbônica, com máxima concentração de aromas e mínima de cor e corpo (Fonte: Adega Veja do Vinho – vol. 8). Análise organoléptica: coloração vermelho-rubi esmaecido, bem típica da variedade. Aberto no nariz com a fruta vermelha predominando – cereja e framboesa principalmente sobre um fundo especiado. De fato, consoante informação deste caprichoso produtor, a fruta direciona este tinto, fácil de beber, fácil de gostar, eis que seus taninos são finos, ligeiros e sem a austeridade típica da Tannat; acidez e álcool integrados num final de média persistência. Uma nova interpretação da Tannat a resultar num tinto fresco, fácil de beber e, sobretudo,  prazeroso. Avaliação: 89-90/100 pts.

Pizzorno Don Prospero Tannat-Malbec – BlogdoJeriel.jpg

Pizzorno Don Próspero Tannat-Malbec 2017 – Álcool: 13,5% – RegiãoCanelones – Sub-região: Canelón Chico – Preço: R$ 84,90 – Don Próspero é a linha de entrada da vinícola Pizzorno, mas apesar de ter estilo mais jovem e acessível, entrega um conjunto digno de muitos elogios. Aqui temos a mescla de duas variedades muito expressivas: Tannat, que brilha do lado direito do Rio da Prata e Malbec, que brilha do outro lado.  Juntas, exibem aromas e sabores de fruta madura, caramelo e flores, porém o que mais surpreende é sua elegância. Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso com reflexo púrpura. Aberto, intenso nos aromas com notas de violetas, frutas negras (ameixa) sobre um fundo defumado, a indicar seu amadurecimento em barrica de carvalho. Paladar intenso, concentrado, seja em razão dos taninos – as duas variedades aportam uma verdadeira profusão de taninos – do álcool generoso e da acidez que faz a sua parte. Denso, concentrado, pede mais algum tempo na garrafa para o seu completo afinamento, mas seu estilo expressivo e concentrado pede uma paleta de cordeiro como acompanhamento. Avaliação: 88-89/100 pts. +

Pizzorno Don Prospero Tannat 2017 – Blogdojeriel.jpg

Pizzorno Don Prospero Tannat 2017 – Álcool: 14% –  Região: Canelones – Sub-região: Canelón Chico – Preço: R$ 84,90 – Vermelho-rubi intenso, concentrado, com reflexo púrpura. Aromas complexos de frutas vermelhas e negras, principalmente framboesa e um toque de ameixa. Leve baunilha. No paladar taninos presentes de boa qualidade, notas de amora, figo, sem intromissão da madeira (dez meses em barricas de carvalho francês e americana). De boa concentração, termina medianamente persistente, com alguma rugosidade, que é uma característica da Tannat. Avaliação: 89/100 pts.+

Pizzorno Tannat Reserva 2015 – Álcool: 13% – Região: Canelones – Sub-região: Canelón Chico – Vermelho-rubi intenso com reflexo violáceo. Aromas complexos de frutas negras, tabaco, caramelo sobre especiarias. Na boca taninos firmes, álcool integrado, acidez média/boa, madeira presente sem incomodar (doze meses em barricas de carvalho americano), ótima concentração de sabor a lembrar “Cherry Brand”, com uma acidez plena e um final persistente. Elaborado com uvas da excelente safra de 2015, vai adquirir complexidade na garrafa nos próximos anos. Avaliação: 91/100 pts.+

Espumante Pizzorno Reserva Brut Nature – Álcool 12% – Variedades: Pinot Noir e Chardonnay – Região: Canelones – Sub-região: Canelón Chico – 24 meses em contato com as leveduras na garrafa, exibiu cor palha brilhante, perlage intenso, aromas ricos, cremoso e fresco no paladar, com a fruta vindo da Chardonnay. De corpo pleno, tem um longo e apetitoso final. Avaliação: 90/100 pts.  

Espumante Pizzorno Rosé  – Blogdojeriel.jpg

Espumante Pizzorno Reserva Brut Nature – Álcool 12% – Variedades: Pinot Noir e Chardonnay – Região: Canelones – Sub-região: Canelón Chico – elaborado exclusivamente com Pinot Noir, exibiu cor salmão brilhante, fruta vermelha no nariz, perlage fino, persistente, boca séria, firme, marcada pelo frescor e pelo balanço da acidez viva. Macio, cremoso, tem personalidade e tipicidade. Avaliação: 90/100 pts.+

CONCLUSÃO –

Pizzorno é um dos mais dinâmicos produtores do Uruguai. Seu portfólio é completo e qualidade não falta a nenhum de seus vinhos. Neste Tannat Tour São Paulo 2018 trouxe três novidades: um inédito Tannat elaborado pelo método da maceração carbônica, que lhe conferiu identidade única sem perder o sabor característico da variedade e dois espumantes produzidos de acordo com os cânones do método tradicional, portanto, de elevada qualidade, a não dever nada a nenhum espumante nacional ou argentino. Uma pena que não são importados, porque se constituem numa excelente opção para o consumidor brasileiro conhecer o nível de qualidade dos espumantes uruguaios, a maioria produzido pelo método tradicional. Olho neste produtor porque inovar sem perder a qualidade é uma tarefa fácil para ele!

Produtor uruguaio Carlos Pizzorno e este redator.

 

(Visited 78 times, 81 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *