A inovação é a assinatura desta vinícola, que com 650 hectares de vinhedos, cultiva variedades convencionais em Mendoza, como Malbec, Cabernet Sauvignon, Syrah, Tempranillo, Viognier, Chardonnay, Bonarda, Caladoc, Ancellotta e muitas outras. Desde 1998 a Família Zuccardi trabalha para tornar orgânico o cultivo de todos os seus vinhedos, sendo que hoje quase toda sua plantação já está certificada. Além do vinho, a Família Zuccardi ainda se dedica à produção de azeite de oliva de alta qualidade. Existem várias linhas de vinhos. Tito Zuccardi por exemplo, é uma homenagem ao avô Alberto, patriarca inovador que plantou as primeiras vinhas da família. É um vinho que transgride os limites, é uma mistura varietal clássica com outra não tradicional plantada como um pioneiro na região.

Poligonos del Valle de Uco Cabernet Franc 2017 recebeu 92/100 pts. da Wine Advocate de Robert Parker – Blogdojeriel.jpg

Degustação –

Zuccardi Polígonos del Valle de Uco Cabernet Franc 2017 – Álcool: 13% – Região: Vale de Uco/San Pablo – Preço na Argentina – AR$ 675 (R$ 68) – Importador: Grand Cru – Preço estimado para o Brasil: R$ 274,90 (preço do Malbec) – Segundo o Enólogo Sebastián Zuccardi, “O Projeto Polígonos se baseia em poder mostrar a dimensão ou a expressão de diferentes lugares do Valle de Uco. São vinhos que provém de vinhedos que consideramos representativos de cada região. O conceito de Polígonos é mostrar os diferentes terroirs do Vale de Uco, através da Malbec como veículo. Trabalhamos para manter as diferenças, intervindo o menos possível, sem sobre-madurar, sobre-extrair nem cobrir com madeira. São vinificados em concreto (sem epoxi) de forma simples¨. Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso concentrado com reflexo púrpura a denunciar um vinho super jovem. A concentração de cor é facilitada pela alta altitude do vinhedo – cerca de 1.400 m.s.n.m. Aberto nos aromas com tons florais (lavanda, violeta), groselha sobre um fundo herbáceo fresco/fino. No paladar não correspondeu às expectativas. Vinho seco que apesar da excelente qualidade dos taninos e do acerto do tripé álcool, fruta e acidez, a não passagem do mosto por carvalho tirou a principal característica da variedade que é a boa pegada. Sim, este refinado Cabernet Franc ressente-se da personalidade desta excelente variedade bordalesa que parece ter encontrado na Argentina, por obra do talentoso Enólogo Alejandro Vigil (Catena/El Enemigo), um novo lar. Voltando à sua descrição, no paladar exibiu uma nuance cítrica que não é comum nos vinhos tintos, mas que para os mais experientes é um indicador de qualidade. No fim de boca tem um toque ligeiramente verde que reforça o cítrico, mas que soa incomum para os apreciadores de CF com passagem por madeira. Tem acento mineral. O seu ponto alto é sua acidez maravilhosamente fresca que pode lhe assegurar um bom envelhecimento na garrafa. Termina agradavelmente leve, suave e fresco. Mas não espere um vinho potente, encorpado, alcoólico, dotado de varias camadas. Essas características, definitivamente não serão encontradas neste “vino de montaña”. Um tinto, no mínimo,  intrigante!  Avaliação: 89/100 pts.+

Segundo Fabricio Portelli, a linha Polígonos representa “varietais de altura com sentido de lugar”

Para elaboração deste post consultamos: http://www.fabricioportelli.com/poligonos-zuccardi-valle-de-uco/

(Visited 47 times, 58 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *