No dia 3 de fevereiro de 2018, a última visita realizada na Press Trip foi à Vinícola Peterlongo. Treissa Fagundes (Marketing) e a Enóloga-Residente Deise Tempass fizeram as honras da casa. A visita se dividiu da seguinte forma: recepção com espumantes no Castelo Peterlongo, visita ao prédio centenário com acesso a cave subterrânea e ao túnel de basalto, seguida pelo Wine Movie Peterlongo cinema entre os vinhedos na Rota do Espumante. Houve também passeio pela cave subterrânea e túnel e piquenique no pátio do castelo durante o Wine Movie. Nunca é demais lembrar que a Peterlongo é uma vinícola centenária sediada em Garibaldi (RS), responsável por elaborar o primeiro espumante brasileiro e, com isso, dar início a história da bebida no Brasil.

Na escuridão das caves ocorre o amadurecimento dos espumantes

Na Peterlongo, o ambiente subterrâneo tem um extenso túnel, concebido para combinar de forma ideal, a umidade, iluminação e baixas temperaturas, fundamentais para a elaboração do espumante pelo método champenoise, no qual a segunda fermentação do vinho base ocorre dentro da própria garrafa. Após, durante período que não supera sessenta dias, as leveduras transformam o açúcar em álcool, liberando gás carbônico, que dá origem à perlage (borbulhas). Em seguida, o espumante passa pelo processo denominado autólise e amadurecimento que pode durar meses ou anos, em seguida removem-se as impurezas através da remuage e do dégorgement. Reconhecido por sua inequívoca qualidade, este método é mais delicado e artesanal, resultando em espumantes com perlage fina, evolução nos aromas e complexidade gustativa.

Vinhos disponíveis para degustação no dia do Wine Movie – blogdojeriel.jpg

 Peterlongo

Champagne Peterlongo Nature blogdojeriel.jpeg

Champagne Peterlongo Brut Nature – antes da descrição deste que é um dos mais famosos espumantes do Brasil, vamos transcrever algumas linhas sobre o direito de uso do termo “champagne” pela Peterlongo: “Tema freqüente nas páginas de publicações o setor vitivinícola nacional é fonte constante de notícias e polêmicas, como o embate tributário e a adequação do uso da palavra champagne para designar a bebida aqui produzida. Contrapondo a proposição que rejeita a aplicação dessa denominação, a Vinícola Peterlongo [Garibaldi – RS] pode, legalmente, utilizar o termo champagne na apresentação de seus produtos – prática que vem ocorrendo desde o início de suas atividades, em 1915. É também da marca a condição de pioneira na elaboração da bebida no país.

Direito confirmado no STF

O direito de a Vinícola Peterlongo utilizar a denominação champagne para identificar e divulgar seus produtos está garantido, em caráter definitivo e irrevogável, pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão pode ser confirmada em consulta ao Recurso Extraordinário nº 78.835.

O pedido das sociedades francesas era de que a Peterlongo se abstivesse de usar nos rótulos de seus produtos, em publicidade, ou de qualquer outra forma, a denominação ‘champagne’ e suas variações ‘champanhe’ e ‘champanha’, sob a alegação de que só às autoras – empresas francesas –, caberia o direito de uso dessas expressões.

A alegação apresentada foi que essas expressões indicam com exclusividade a origem de vinho espumante da região francesa com o mesmo nome (champagne), sendo privilégio das autoras o uso do termo, e não de empresas brasileiras.

A ação proposta pelas sociedades francesas foi julgada improcedente, o que posteriormente foi confirmado pelo STF. Ficou esclarecido, conforme trecho do processo, que segue: “o precursor da fabricação de champagne no Brasil foi Manoel Peterlongo e que em 1916 não recebeu qualquer advertência para não fabricá-lo, e, que somente muito tempo depois, quando o produto nacional já se tornara famoso, é que se lembraram as autoras de opor-se ao uso da denominação”.

O ganho de causa em favor da Peterlongo justifica-se porque, no caso da vinícola gaúcha, o termo champagne está relacionado ao método de elaboração da bebida, e não como denominação de origem.

O emprego do termo como referência ao processo de fabricação (champanhização) não pode, portanto, ser qualificado como falsa indicação de procedência porque a denominação vem seguida do nome do produtor e da expressão ‘indústria brasileira’. Fonte: Peterlongo

Degustação –

Champagne Peterlongo Brut Nature – Álcool: 12,5% – Variedades: Chardonnay e Pinot Noir – palha claro brilhante. Aromas complexos de frutas tropicais, pão tostado e uma notinha de leveduras. Na boca é seco, corpo de média intensidade, bom equilíbrio entre o sabor, álcool e acidez. Termina agradavelmente persistente. Avaliação: excelente

Degustamos também os vinhos Armando Teroldego e Touriga Nacional:

Armando Memória Teroldego 2016 – Álcool: 12,5% – Regiões: Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha – vermelho-rubi com reflexo violáceo com halo púrpura. Intensos aromas de baunilha decorrentes de sua longa permanência em carvalho sobre notas de ameixa e canela. Paladar denso, profundo, taninos aveludados de ótima qualidade, álcool integrado, acidez rica, enfim, um vinho balanceado, de média-longa persistência e de distinta personalidade a demonstrar o potencial da variedade no Brasil. Avaliação: excelente

Armando Memória Touriga Nacional 2017  – Álcool: 12,5% – Regiões:  Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha – vermelho-rubi com reflexo violáceo e halo púrpura. Intensos aromas de frutas negras e vermelhas ao lado das notas de violetas características da variedade na sua terra natal.  Reminiscências de baunilha decorrente de sua longa permanência em carvalho foram notadas sobre convidativas notas de groselha e geleia de amora. Paladar denso, volumoso, taninos aveludados de ótima  qualidade, álcool integrado, acidez média/boa, enfim, um vinho balanceado, de longa persistência e de personalidade vincada a demonstrar o potencial da variedade no Brasil. Avaliação: excelente +

 

Vinícola Peterlongo numa tarde de Wine Movie:

 

A VINÍCOLA PETERLONGO e o ENOTURISMO

Para celebrar o novo momento da empresa, grandes investimentos estão sendo realizados em infraestrutura, enoturismo e na inauguração de um Centro de Eventos. Além disso, a parceria de 10 anos com o enólogo francês Pascal Marty – responsável por projetos mundialmente consagrados como Almaviva e Opus One – terá a missão de revitalizar produtos de todas as linhas da Peterlongo, que já começam a se destacar nos concursos nacionais e internacionais que participam. Grandes atrações voltadas ao turista e à comunidade foram lançadas e já fazem parte do calendário anual da vinícola como o Wine Movie (cinema a céu aberto em meio aos parreirais) e as degustações harmonizadas. Hoje, entre as pedras e as pipas da cantina, foi criado um museu que conta histórias e que mostra as ferramentas, instrumentos e outros aparelhos rudimentares que foram utilizados na elaboração do primeiro espumante comercializado no Brasil.

SERVIÇO –

Vinícola Peterlongo –

Rua Manuel Peterlongo Filho, 216

Telefone: 54 3462 1355

Portal: www.peterlongo.com.br

E-mail: varejo@peterlongo.com.br

Atendimento: de segunda a domingo das 9:00 às 17:30 hs, sem fechar ao meio-dia.

(Visited 86 times, 87 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *