A oitava edição do Esvaziando a Adega de 2013 teve por tema vinhos brancos de safras antigas. O local escolhido, no dia 23.11.2013, foi o Restaurante Zeffiro, sito à Rua Frei Caneca 669, Bela Vista, São Paulo. Estiveram presentes os Confrades José Luiz, Lucas, Clóvis, Romeu, Antonio Carlos Lacombe (convidado) e quem escreveA seguir a lista dos vinhos brancos:

banner 01 copy

Miguel Torres Santa Digna Sauvignon Blanc 2006 – álcool: 13,5% – região: Vale de Curicó-Central  – importador: Reloco (Inativa) – desclassificado (rolha) –

Leyda Garuma Vineyard  Sauvignon Blanc 2006 – álcool: 13,5% – região: Vale de Leyda/Chile – importador: Grand Cru – O Vale de Leyda fica perto do Pacífico. Os vinhedos estão 14 km do mar, local ideal para vinicultura, eis que a uva pode amadurecer lentamente. Fermentação “sur lie” por 4 meses.

Carta Vieja Sauvignon Vert 2005 – álcool: 13% – região: Vale do Maule/Chile – importador: CBD –

CIMG0659

CIMG0668

A degustação ocorreu às cegas. Pinots argentinos e chilenos, da mesma faixa de preço e safras foram degustados. Apenas um exemplar apresentou defeito (bouchonée), sendo de safra diferente (2006). Das garrafas de safras destoantes, o vinho de 2012 participou, mas nem essa vantagem lhe deu a vitória. O resultado foi bastante interessante.  A seguir a relação dos tintos degustados e depois o pódio, inclusive dos brancos remanescentes da degustação anterior:

Undurraga Aliwen Reserva Pinot Noir 2008 – Vale do Maipo – Álcool: 13,5% – importador: Mr. Man –

Casa Silva Pinot Noir Reserva 2008 – Vale de Colchágua – Álcool: 13,5% – importador: Vinhos do Mundo –

Alamos Pinot Noir 2008 – Mendoza – Álcool: 13% – importador: Mistral – preço: R$  56,72 (safra 2011) –

Cono Sur Reserva Pinot Noir 2006 – Vale de Casablanca – Álcool:  14% – importador: Expand –

Casilero Del Diablo Pinot Noir 2008 – Vale de Casablanca – Álcool: 13,5% – importador: VCT Brasil –

Chilensis Pinot Noir 2012 – Vale do Maule – Álcool: 13,5% – importador: CBD –

A seguir os vinhos na ordem decrescente de classificação:

Cono Sur Reserva Pinot Noir 2006 – Vale de Casablanca – Álcool:  14% – importador: Expand – desclassificado (rolha) –

5°- Casilero Del Diablo Pinot Noir 2008 – Vale de Casablanca – Álcool: 13,5% – importador: VCT Brasil –

4°- Casa Silva Pinot Noir Reserva 2008 – Vale de Colchágua – Álcool: 13,5% – importador: Vinhos do Mundo –

3°- Undurraga Aliwen Reserva Pinot Noir  2008 – Vale do Maipo – Álcool: 13,5% – importador: Mr. Man –

2°- Chilensis Pinot Noir 2012 – Vale do Maule – Álcool: 13,5% – importador: CBD –

1°- Alamos Selección Pinot Noir 2008 – Mendoza – Álcool: 13% – importador: Mistral – preço: R$ 56,72 (safra 2011) – vermelho-rubi de média intensidade. Aberto nos aromas com notas de frutas vermelhas sobre compota. No paladar taninos macios, acidez razoável e confirmação da fruta sinalizada no nariz. Madeira integrada (amadurecido 6-8 meses em barricas americanas e francesas). Álcool generoso sem incomodar. O final tem persistência média, sem amargor. Avaliação: 88-89/100 pts. 

Triunvirato campeão da esquerda para direita: um argentino e dois chilenos
Triunvirato campeão da esquerda para direita: um argentino e dois chilenos

A seguir os três brancos degustados às cegas, na ordem decrescente de classificação:

Miguel Torres Santa Digna Sauvignon Blanc 2006 – álcool: 13,5% – região: Vale de Curicó-Central  – importador: Reloco (Inativa) – desclassificado (rolha) –

2° – Leyda Garuma Vineyard  Sauvignon Blanc 2006 – álcool: 13,5% – região: Vale de Leyda/Chile – importador: Grand Cru – Leyda fica perto do pacífico. Os vinhedos estão 14 km do mar, local ideal para vinicultura, eis que a uva pode amadurecer lentamente. Fermentação “sur lie” por 4 meses. Análise organoléptica: palha claro brilhante. Intenso e complexo nos aromas com notas cítricas sobre um fundo mineral. No paladar a mineralidade se repete, mas dá espaço para a fruta cítrica, num vinho encorpado, acídulo e fresco. Persistente, seu final é limpo, sem adstringência ou qualquer amargor vegetal. Mais um Sauvignon Blanc chileno do festejado Vale de Leyda longevo, eis que tem estrutura para mais um ou dois anos na garrafa. Avaliação: 88/100 pts.+

1° – Carta Vieja Sauvignon Vert 2005 – álcool: 13% – região: Vale do Maule/Chile – importador: CBD – Dourado brilhante. Aroma de pouca intensidade mas de complexidade acima dos esperado, com notas florais se revezando com toques de frutas maduras. Na boca seu ingresso revelou um vinho denso, macio e incrivelmente fresco sem denunciar o peso de oito anos, eis que seu frescor é o principal atributo desse vinho. Final de média persistência, remetendo o degustador às sensações gustativas iniciais. Avaliação: 88,5/100 pts.

O Miguel Torres Sauvignon Blanc foi desclassificado. O vinho escolhido pelos degustadores foi o Sauvignon Vert, que apesar de quase nove anos não demonstrou o peso dos anos, porque estava fresco e saboroso!
O Miguel Torres Sauvignon Blanc foi desclassificado. O vinho escolhido pelos degustadores foi o Carta Vieja Sauvignon Vert, que apesar de quase nove anos não demonstrou o peso dos anos, porque estava fresco e saboroso!

 

(Visited 109 times, 109 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *