DSCF4033_3216x2412

Entre os dias 16 a 19 de março do corrente ano, este escriba visitou as vinícolas Emiliana e Cono Sur, através de convite da importadora La Pastina. Como companheiro de viagem o jornalista Mauro Marcelo Alves, editor da Revista Gula. Pela La Pastina, o solícito e eficiente Leandro Moscoso Macuco (Marketing Manager – Wines), Manuela M. Marques Oliveira, Gerente de Produto – Product Manager Marketing) e Denilson Moraes, Diretor de Operações da La Pastina.

A linha Cono Sur se caracteriza pela ênfase em algumas variedades brancas, cultivadas nos melhores terroirs para cada uma delas.
A linha Cono Sur se caracteriza pela ênfase em algumas variedades brancas, cultivadas nos melhores terroirs para cada uma delas.

Algumas linhas para a agricultura orgânica, um dos pilares da Cono Sur

A vinificação permite a aplicação de leveduras selecionadas. O maquinário e ferramentas que se utilizam nesse processo devem ocupar-se unicamente desta atividade. Aceita-se o uso de sulfitos em doses baixas. Quanto ao engarrafamento, o material da etiqueta, a tinta da impressão, o tipo de cortiça e as caixas de embalagem também devem ser orgânicos, com papel reciclado, pois o conceito orgânico é coerente e globalizado. A certificação é algo necessário para acreditar-se na veracidade dos vinhos orgânicos e para isso existem empresas internacionais que certificam o processo. Elas realizam visitas periódicas, baseando-se em normas internacionais que regulamentam a produção de vinhos orgânicos. Os certificados se aplicam para cada colheita, o que implica num controle permanente. Entre as empresas mais conhecidas mundialmente podem ser mencionadas a INMO Control (Suíça), Demeter (Suíça), Natureland (Alemanha) e Proa (Chile). Cerca de 20% da produção da Viña Cono Sur é orgânica. Fonte – Guia de Vinhos Chilenos 2003-2004 – Ariel Pérez e Cláudia Fusatto

DSCF4081_3216x2412

 A seguir a relação dos vinhos degustados na sala de degustações da vinícola :

Cono Sur Reserva Especial Sauvignon Blanc 2013  – Álcool: 13% – Região: Vale de Casablanca – Preço: R$ 53,50 – Palha verdeal brilhante, translúcido. Aromas típicos com toques florais, fruta tropical madura (maracujá) sobre notas vegetais. Na boca é um branco macio, sem passagem por madeira, sem realização de fermentação maloláctica. Confirmou a nota cítrica dos aromas, com bom corpo, álcool integrado e frescor destacado. Exibiu leve mineralidade. Muito boa relação preço-qualidade. Avaliação: 88-89/100 pts.

DSCF4050_3216x2412

Cono Sur Reserva Especial Chardonnay 2013 – Álcool: 13,5% – Região: Vale de Casablanca – Preço: R$ 53,50 Palha intenso. Cerca de 20% do mosto é fermentado em barrica de carvalho francês, sem fermentação maloláctica. Aromas abertos com sugestões amanteigadas, baunilha sobre ligeiro cítrico. Boca macia com boa expressão de fruta branca sem intromissão da madeira. Final delicado, de média persistência e ausência de amargor. De boa tipicidade, também vale o preço! Avaliação: 88/100 pts.

DSCF4081_3216x2412

Cono Sur Bicicleta Pinot Noir 2013 – Álcool: 13,5% – Região: Vale Central – Preço: R$ 36,50 –  Pinot Noir “entry-level” da Cono Sur, exibiu cor típica da casta, aroma frutado sobre um fundo de madeira (60% do mosto amadurece durante oito meses em barrica de carvalho francês de 3° e 4° usos). Taninos macios, corpo leve, alguma fruta, discreta sobra de álcool, é um tinto que serve de exemplo para quem deseja conhecer essa variedade, eis que mesmo no nível de entrada, apresenta alguma tipicidade. Avaliação: 86/100 pts.

Primeira deferência - bandeira brasileira hasteada.
Primeira deferência – bandeira brasileira hasteada.

Cono Sur Bicicleta Carménère 2013 – Álcool: 13,5% – Região: Vale de Colchágua – Preço: R$ 36,50 – cerca de 40% do mosto é amadurecido em barricas francesas de terceiro e quarto usos. Intenso na cor, fechado nos aromas com prevalência de notas vegetais, se mostrou superior na boca, com presença razoável de fruta, taninos macios, leve sobra de álcool, acidez regular e final suave, sem adstringência. Avaliação: 86-7/100 pts.

Os gansos ficam presos na época da colheita porque comem os cachos das uvas.
Os gansos ficam presos na época da colheita porque comem os cachos das uvas.

Cono Sur Bicicleta Cabernet Sauvignon 2013 – Variedades: Cabernet Sauvignon (85%) e Carménère, Malbec e Syrah (15%) – Álcool: 13,5% – Região: Vale Central – Preço: R$ 36,50 – Púrpura intenso com alguma profundidade. Aromas típicos da casta com notas de frutas vermelhas e negras sobre especiarias. Macio e redondo no paladar com taninos polidos. Corpo bom, final razoavelmente persistente. Avaliação: 87/100 pts.+

A Cono Sur tem por variedade principal a Pinot Noir e por isso os vinhos são amadurecidos e barricas de carvalho francês das melhores tonelarias.
A Cono Sur tem por variedade principal a Pinot Noir e por isso os
vinhos são amadurecidos e barricas de carvalho francês das melhores tonelarias.

Cono Sur Single Vineyard Carménère 2011 – Álcool: 14% – Região: Vale de Cachapoal/Peumo – Preço: R$ 80,00 – Elaborado com uvas oriundas de Peumo, este Carménère apresentou atraente cor púrpura com reflexo violáceo, aromas abertos com notas amoras, café torrado e licor de cacau. Boca rica, taninos macios, boa concentração de sabor aliada à sua profundidade gustativa fazem deste Carménère um vinho bem feito, prazeroso e equilibrado. A madeira (12 meses em carvalho francês, 70% novos e 30% de segundo uso)  integrada à fruta. Final longo, sem qualquer aspereza. Avaliação: 88-89/100 pts.+

Single Vineyard Viento Mar - novidade que vem do Vale de San Antonio
Single Vineyard Viento Mar – novidade que vem do Vale de San Antonio

Cono Sur Reserva Especial Syrah 2012 – Álcool: 13,5% – Região: Vale de Colchágua – Preço: R$ 53,50 – Púrpura com alguma profundidade com reflexo azulado. Aromas característicos da variedade com especiarias, ameixas sobre uma nota de groselha. Na boca sua entrada revelou um vinho potente, que provoca ligeiro aquecimento do paladar sem incomodar. Taninos macios e adocicados. Tinto estruturado, que tem “nervo” e que cresceu na taça durante a degustação. Além da ótima tipicidade, sua relação preço-qualidade é outra das suas virtudes. Avaliação: 89/100 pts.

Espumante Cono Sur método Charmat - boa tipicidade e efervescência
Espumante Cono Sur método Charmat – boa tipicidade e efervescência

Cono Sur Reserva Especial Cabernet Sauvignon 2012 – Álcool: 13,5% – Variedades: Cabernet Sauvignon (86%) e Syrah (5%),  Carmenère (4%), Malbec (3%) e Merlot (2%) – Região: Vale do Maipo – Preço: R$ 53,50 – Intenso e profundo na cor, de boa complexidade aromática com sugestões mentoladas no primeiro plano que logo cedem espaço para ameixas sobre um fundo que recorda licor de cassis. Na boca um tinto de taninos presentes (boa qualidade) a reivindicar mais algum tempo na garrafa para seu completo arredondamento. Expansivo, profundo e de média/longa persistência. Vale o preço! Avaliação: 88/100 pts.

A Bicicleta, símbolo da Cono Sur, vinícola que pertence a Concha y Toro

Cono Sur Single Vineyard Cabernet Sauvignon 2011 – Álcool: 14,5% – Variedades: Cabernet Sauvignon (90%) e Syrah (10% – Vale de Limarí) – Região: Vale do Maipo/Pirque – Preço: R$ 80,00 – Intenso, concentrado e profundo na cor, elaborado com uvas provenientes de apenas um vinhedo “El Recurso”, em Pirque, região notabilizada pela elevada qualidade da Cabernet Sauvignon ali produzida. A complexidade aromática é digna de nota,  com a fruta vermelha e negra na frente de sugestões mentoladas que cedem espaço para licor de cacau. Na boca um tinto de taninos macios de excelente qualidade com destaque para sua concentração, profundidade e equilíbrio gustativo, eis que todos elementos estão entrosados entre si, sem sobra de álcool ou madeiro. Persistente, aveludado e de grande tipicidade. Tem relação preço-qualidade. Avaliação: 90/100 pts.+

A Cono Sur tem por variedade principal a Pinot Noir e por isso os
vinhos são amadurecidos e barricas de carvalho francês das melhores tonelarias.

Cono Sur Late Harvest Cosecha Noble Riesling  2012 – preço: R$ 39,50 – Álcool: 12% – Elaborado com cepas do distante Vale de Bío Bío, com 70% de uvas botrytizadas, amadurecido 12 meses em tanques de aço inoxidável. Análise organoléptica: amarelo na transição para dourado brilhante, intenso. Aberto e forte nos aromas com notas de geléia de laranja, damasco, frutas cristalizadas sobre um fundo de mel. Na boca é um vinho untuoso, fresco, concentrado,  com destaque para sua mineralidade que não encobre a fruta cítrica. Expansivo, delicado, tem na tipicidade e na sua relação preço-qualidade algumas de suas inúmeras virtudes. Avaliação: 90/100 pts.

Ocio Pinot Noir - um dos mais antigos e consistentes Pinots de alta gama do Chile.
Ocio Pinot Noir – um dos mais antigos e consistentes Pinots de alta gama do Chile.

Conclusão

Da simples leitura das avaliações acima o leitor irá inferir que os vinhos Cono Sur em sua expressiva maioria são detentores de inequívoca relação preço-qualidade e tipicidade. Produz atualmente sete Pinots Noir e desde o mais simples o vinho já exibe os traços característicos da casta no Novo Mundo. Mas a vinícola procura elaborar vinhos que expressem o seu terroir e isso pôde ser conferido à partir da linha “Single Vineyard”. Um pouco abaixo vem a linha Reserva Especial com um Syrah que custa pouco mais de R$ 50 e entrega bem mais do que outros vinhos da mesma categoria. Na ala dos Cabernets, desde o “Bicicleta” até o Single Vineyard essa variedade provou mesmo que é a melhor de todas as tintas cultivadas no Chile, eis que são vinhos macios, saborosos e fáceis de beber. Os brancos degustados são corretos, mas o destaque mesmo ficou para o Late Harvest. Por fim, importante destacar que a Viña Cono Sur foi a única vinícola chilena com três vinhos eleitos o melhor na sua categoria no último concurso Awoca 2013 (três jurados brasileiros), senão vejamos:

  • Melhor Late Harvest: Cono Sur’s Cosecha Noble from Bio Bio, 2012 – 91/100 pts.
  • Melhor outros brancos: Cono Sur Single Vineyard Riesling, 2012 – 91/100 pts.
  • Melhor Pinot Noir: Cono Sur Single Vineyard Pinot Noir, 2012 – 92/100 pts.

TO BE CONTINUED!

A seguir links das matérias anteriores sobre essa vinícola:

http://blogdojeriel.com.br/2014/03/vinhos-cono-sur-agora-em-boas-maos-la-pastina/

http://blogdojeriel.com.br/2014/04/giro-pelas-dependencias-da-cono-sur-em-chimbarongo/

http://blogdojeriel.com.br/2014/04/visita-a-vinicola-cono-sur-chimbarongo-vale-de-colchagua-segunda-parte/

(Visited 446 times, 446 visits today)

One thought on “Visita à vinícola Cono Sur – Chimbarongo, Vale de Colchágua – terceira parte”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *