Carnaval no Tempo - Pulcinella

Estou me guardando pra quando o Carnaval chegar…” já dizia Chico Buarque numa de suas primeiras e geniais composições. Pois bem, a grande revanche – no sentido de ‘rasgar a fantasia’, deixar-se levar ou pela folia mesmo, ou, pelo menos, pela dissipação das agruras cotidianas – está batendo às portas! E daí, o amante de vinhos se pergunta: “O que vou abrir para o Carnaval”?

Carnaval no tempo - mascara 

Na minha pouca modesta opinião, vinho, vino mesmo, daqueles encorpados, cheios de anatomia, de complexos buquês e retrogostos, só se for no Carnaval de Veneza! Ali, com toda pompa, naquele frio e luxo de máscaras e fantasias de veludo pesado, pode fazer algum sentido. Na tropical festa maior, minha tese é em defesa dos vinhos borbulhantes, bem gelados, champagnes ou espumantes que sempre combinam com qualquer festa. Mas como isso é o óbvio, fui mais adiante e comecei uma intrigante pesquisa entre a ala dos barmen, os grandes especialistas nas felicidades etílicas… E ainda estendi a pesquisa até a ala dos ‘loucos por vinho’, entre eles, nada mais, nada menos, do que um ícone do Carnaval da Bahia, agitador de trio-elétrico e tudo, e ainda, nas horas vagas, em sociedade com a esposa, empresário do mundo do vinho (já sabem quem são?)…

Douglas, Barman do Piove
Douglas, Barman do Piove

Piove

Mas vamos começar com o reino da mixologia, ou a arte da coquetelaria, aquela  que acontece atrás dos balcões dos bares mais estilosos da cidade. Dando uma esticada até o “Piove” (casa noturna de primeiríssima linha, voltada à um público mais adulto), a dupla de barman e barwoman do fervilhante endereço da Rua Jerônimo da Veiga, Douglas e Sandra Alves, criou especialmente para a temporada carnavalesca drinks a base de vinho. 

Sandra Alves, barwoman do fervilhante Piove
Sandra Alves, barwoman do fervilhante Piove

Douglas escolheu vinho tinto, suco dos limões siciliano e tahiti, água tônica e folhinhas de hortelã para arrematar, batizando o long-drink  de Moquinta. A criação de Sandra, que ganhou o nome Sorry, princess, parece ideal para agradar aos paladares femininos. Como a barwoman do Piove explica, na tradução “me desculpe, princesa”, o nome é uma brincadeira, mas o drinque é sexy e saboroso, e espumantes ou champagne sempre fazem muito sucesso na noite, garante ela. Se quiser testar a receita, basta montar em camadas, suco de morango, suco de limão, suco de manga batido com leite condensado; completar com espumante ou prosecco, adicionando ao final um pouquinho de licor granadine e hortelã para adornar.

 drink Piove

PariBar

Outra sugestão irrecusável vem de tradicionalíssimo bar, situado no antigo centro paulistano, o “PariBar”; bar com muita história, que ressurgiu em versão modernizada e deliciosamente revitalizada, tendo como cenário a arborizada Praça Dom José Gaspar – tudo graças ao arrojo de um jovem empresário, Luiz Campiglia, que acredita em três coisas na vida: boa cozinha, fina boemia e na continuidade das tradições do velho centro da cidade.

 Paribar - drink de carnaval 016

 

Ali, além dos clássicos coquetéis que levam champagne ou prosecco, como o Bellini, habituais na extensa carta de bebidas da casa, seu barman, Gabriel ‘The Books’ (sim, é assim que ele ficou conhecido, desde os tempos do histórico bar das lojas  Daslu), está preparando novidades para as festas de Momo. Aliás, o Paribar já avisa que irá promover uma festa diferente no domingo gordo de carnaval, com muito som de Djs em balada eletrônica ecoando pela Praça, enquanto a cozinha providencia petiscos clássicos e pratos mais leves, além do serviço de brunchs dominicais, que estréia no PariBar a partir do aniversário de São Paulo.

 

Paribar - drink de carnaval 012

Pois vamos aos drinques: Fraize piscine – em uma taça alta de vinho macerar morangos com um pouco de açúcar, adicionar pedras de gelo e completar com um espumante seco. Simples, cheio de frescor e elegantemente festivo. A segunda sugestão é uma sofisticada ‘Sangria branca’- vinho branco, frutas frescas em pedaços, licor Cointreau, gotinhas de Angustura, gelo e soda.

 

Camarote Chiclete com Banana
Camarote Chiclete com Banana

 

Do camarote de super-star, no circuito Barra-Ondina

Detentora de um apurado catálogo de vinhos do mundo, uma importadora vem demarcando terreno no competitivo mercado das grandes cidades do País. Ana Import Vinhos. O nome não é por acaso e se refere à dona da empresa, Ana Marques, que é baiana e casada com um muito famoso filho da terra, Bel Marques, da banda Chiclete com Banana 

Ana Marques
Ana Marques

Ana Marques ama bons vinhos, porém em tempos de Carnaval, no concorrido Camarote Nana-Banana, no chamado circuito Barra-Ondina, enquanto o marido conduz a multidão com um inflamado rock-axé do alto do trio-elétrico, Aninha, como é carinhosamente conhecida, e seus convidados muito especiais, se deleitam e se refrescam apenas com champagne, espumantes franceses e o espumante italiano Glamour (uma marca da casa que é mesmo um primor). Ana Marques pontifica que as circunstâncias não permitiriam outros tipos de vinho. “Vinhos complexos exigem total atenção e ritual que não caberia em plena folia”, analisa Ana Marques.

Tuda acaba em pizza e drink de carnaval 012  

Um coquetel bem geladinho, preparado com vinho branco, também pode eventualmente figurar na bandeja daquelas festanças baianas no reino do Carnaval. A criação é de outra Ana (esta, Ana Maria Andrade), diretora do núcleo paulista da mesma importadora. Vamos à receita: numa taça volumosa coloque uma boa dose de vinho branco (sauvignon blanc ou chardonnay), bem gelado, e adicione a mesma medida de suco de grapefruit, não menos gelado; enfeitar com folhas de menta e se desejar adicionar gotas da angustura. Combinação facílima de preparar – e ainda mais de se beber!

 

Psicologia da mixicologia

Quer conhecer o que há de mais up to date na seara da mixologia? Consegui localizar o modernérrimo chef de bar Marcelo Vasconcellos, que criou especialmente para a minha coluna no Blog do Jeriel, alguns drinques dentro do ‘espírito’ da coisa… Aproveitei para me informar que o inquieto Marcelo está engendrando projeto de trazer para São Paulo um bistrot muito famoso em New York – mas por enquanto não se pode adiantar mais.

Negroni Sbagliato - M Vasconcelos
Negroni Sbagliato – Marcelo Vasconcelos

Aqui as duas receitas do bar-consultor: Negroni Sbagliato – 40 ml de Aperol, 40 ml de sweet Vermouth rosso, 40 ml de prosecco brut; misture os ingredientes na ordem seguida em um copo baixo ou em uma taça de vinho, com gelo, e decore com uma fatia de grapefruit ou laranja. Outro cocktail não menos viril, Ruby Blossom,  vai levar 25 ml de gin importado, 50 ml de vinho malbec ose, 50 ml de suco de cranberry, 05 ml de Aperol; sirva os ingredientes em um copo longo com bastante gelo e decore com frutas vermelhas e casca de limão siciliano. 

Ruby Blossom - M Vasconcelos
Ruby Blossom – Marcelo Vasconcelos

Por fim, lembrando que Carnaval é sonho, é fantasia, que é a afirmação não só do hedonismo sobre o sombrio desprezo pelas alegrias dos sentidos, mas principalmente a exaltação da imaginação – qualidade que torna o ser humano tão especial, cabe citar o clássico espanhol Calderón de la Barca; ele tem uma trova para nos eximir de qualquer dúvida ou culpa – antes de se atirar a folia ou ao drinque ‘imaginativo’…

“Que é a vida? Uma ilusão, uma sombra, uma ficção. Pois toda a vida é sonho e os sonhos, sonhos são”.

 (por Bebel Salem) 

  • www.paribar.com.br
  • www.piovemusica.com.br   
  • www.anaimport.com.br
  • Marcelo Vasconcellos – Consulting – Events – Education / 11 98186 6967
  • Jezebel Salem, jornalista por profissão que já  atuou em áreas diversificadas, como cultura e economia, mas que logo se especializou no hoje chamado jornalismo gastronômico. Foi repórter e redatora em vários canais da imprensa, como os jornais O Estado de São Paulo, Gazeta Mercantil, Shopping News, Jornal da Tarde, entre outros, inscrevendo-se entre os pioneiros dessa especialidade que ao longo dos últimos 25 anos, tanto espaço e entusiastas conseguiria conquistar. Participou das primeiras edições da revista Gula (surgida no início dos anos 90) e assinou artigos em várias publicações do gênero.
    Jezebel Salem, jornalista por profissão que já atuou em áreas diversificadas, como cultura e economia, mas que logo se especializou no hoje chamado jornalismo gastronômico. Foi repórter e redatora em vários canais da imprensa, como os jornais O Estado de São Paulo, Gazeta Mercantil, Shopping News, Jornal da Tarde, entre outros, inscrevendo-se entre os pioneiros dessa especialidade que ao longo dos últimos 25 anos, tanto espaço e entusiastas conseguiria conquistar. Participou das primeiras edições da revista Gula (surgida no início dos anos 90) e assinou artigos em várias publicações do gênero.

 

(Visited 279 times, 279 visits today)

4 thoughts on “Coluna Bel Prazer : “O que você vai beber no Carnaval ?””

  1. Você Jezebel é , como sempre, fantástica, tanto na escrita como nas idéias.
    Obrigado pelas dicas.
    Murilo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *