2015-05-21 15.07.22

O almoço em comemoração aos 140 anos de história do grupo Famiglia Valduga foi realizado na última quinta-feira, dia 21 de maio, com a presença de João, Juarez e Jonas Valduga e de todo o staff da vinícola e da importadora Domno, além de representantes de produtores do Chile e da Espanha. Juarez Valduga fez um discurso emocionado sobre os 140 anos da vinícola, seguido do enólogo Daniel Dalla Valle, João Valduga e Jones Valduga.  A seguir as descrições e avaliações de todos vinhos degustados, num almoço-degustação que primou pela organização e atenção dedicada a todos convidados: 

O vinho Luiz Valduga não será comercializado. Nada foi divulgado: vinhedos, uvas e amadurecimento. Mas este escriba apurou tratar-se de dois clones de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Tannat e mais uma quinta variedade.
O vinho Luiz Valduga Corte 1  é o novo top da Casa Valduga. Nada foi divulgado: vinhedos, uvas, preço e amadurecimento. Mas este escriba apurou tratar-se de dois clones de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Tannat e mais uma variedade.

Vinho comemorativo Luiz Valduga “Corte 1” – violáceo intenso com ligeira turbidez (provavelmente o vinho não deve ter sido filtrado). Aromas vinosos secundados por frutas negras sobre um fundo balsâmico. Na boca taninos firmes, rugosos pedindo tempo para o arredondamento. A acidez é boa e provoca intensa salivação; já o álcool sobrou um pouco assim como a madeira. Será que mais algum tempo colocará tudo no seu devido lugar? Creio que sim. É um vinho novo, complexo, de ataque potente, com acento mineral e muito persistente. Terminou com leve aspereza. Apenas 3.000 garrafas produzidas. Será produzido somente nas safras excepcionais.

O refrescante .Nero, carro-chefe da Domno foi servido logo no início do almoço.
O refrescante .Nero, carro-chefe da Domno foi servido logo no início do almoço.

.Nero Rosé Brut – Variedades: Chardonnay (60%) e Pinot Noir (40%) – autólise: 6 meses – preço: não divulgado – atraente cor vermelho cereja brilhante. Perlage média sem formação de espuma. Aromas francos com sugestões de frutas vermelhas sobre leveduras. Na boca é macio, corpo médio, muito bom frescor, persistência razoável e final harmônico, limpo, sem amargor. Detentor de relação preço-qualidade. Avaliação: 87/100 pts.

Este foi servido como acompanhamento da salada
Este foi servido como acompanhamento da salada

 

Casa Valduga Gran Reserva Extra Brut 2009 – Variedades: Chardonnay (70%) e Pinot Noir (30%) – autólise: 60 meses – preço: não divulgado – amarelo-limão brilhante. Perlage fina com borbulhas finas emergindo do centro da taça em profusão. Complexo “bouquet” de aromas com brioches, amêndoas, frutas secas sobre leveduras. Mais uma vez a boca confirmou as sensações olfativas com volume, classe e elegância. Termina fresco, persistente, seco e intenso, sem amargor. Apontado, com justa razão, como um dos melhores espumantes nacionais por sua regularidade e consistência. Avaliação: 90/100 pts.

Chardonnay Leopoldina 2013 - aromas e sabores amanteigados. A fruta vem depois.
Chardonnay Leopoldina 2013 – aromas e sabores amanteigados. A fruta vem depois.

Casa Valduga Gran Leopoldina DO 2013 – álcool: 14% – região: Vale dos Vinhedos amarelo-palha brilhante. Aberto nos aromas com as tradicionais notas amanteigadas decorrentes do estágio nas barricas francesas e romenas, frutas maduras (abacaxi, pêssego e marmelo) sobre uma nota de baunilha. Na boca a sua entrada revela um vinho intenso, de acidez na medida certa a lhe proporcionar algum frescor. No momento a madeira dá o ar de sua graça, mas tudo indica que se integrará conferindo harmonia ao conjunto, que no momento já agrada, com evidentes toques cítricos. Final sem amargor num vinho envolvente, no mesmo nível de qualidade de seus congêneres Sul-americanos. Faltou-lhe só um pouquinho mais de frescor, mas durante o evento foi informado que este branco obteve, recentemente, o quarto lugar num importante concurso internacional. Avaliação: 88/100 pts.+

Este branco da variedade Verdejo de Rueda da Bodega Frontaura foi, sem dúvida, uma das estrelas do evento
Este branco da variedade Verdejo de Rueda da Bodega Frontaura foi, sem dúvida, uma das estrelas do evento

Frontaura Verdejo DO Rueda 2011 – Álcool: 13,5% – região: Sitio de La Erilla/Rueda – preço: R$ 195 – vinho amadurecido sete meses em barrica de carvalho francês – Análise organoléptica:  já seduz na cor palha verdeal brilhante. No olfato uma verdadeira explosão de aromas florais e frutados, com ênfase em flores do campo secundadas por maracujá, abacaxi e lima com ampla sustentação na taça. No paladar, também demonstrou potência aliada a sua acidez vibrante. Macio, fresco, aveludado, trata-se de um branco completo e versátil, porque pode ser desfrutado sozinho ou à mesa. Seu final parece interminável assim como seu frescor. Avaliação: 91/100 pts.

Há muito tempo procurando importador, a Viña Maquis finalmente encontrou na Domno um porto seguro para seus vinhos. Awui, degustamos um de seus topos de gama, o Cabernet Franc, cujo preço está na casa dos R$ 300
Há muito tempo procurando importador, a Viña Maquis finalmente encontrou na Domno um porto seguro para seus vinhos. Aqui, degustamos um de seus topos de gama, o Cabernet Franc, “Franco” cujo preço está na casa dos R$ 300

Maquis Cabernet Franc “Franco” 2010 – álcool: 14% – região: Chimbarongo/Colchágua – importador: Domno – preço: em torno de R$ 300 – este típico tinto do Vale de Colchágua, exibiu cor intensa e profunda, brilhante com halo púrpura nas bordas. Aromas complexos com notas de especiarias, tostado, mentol sobre um fundo madeirado. Na boca a sua entrada revela um vinho muito potente, de sólida estrutura, taninos aveludados, acidez média, álcool generoso e a fruta um pouco encoberta pela madeira. Longo, potente, persistente, é um grande Cabernet Franc de Colchágua, uma das regiões mais nobres do Chile para cultivo de vitis vinifera, eis que os vinhos são reconhecidamente potentes, típicos e longevos. No fim-de-boca, uma notinha de chocolate. Vai evoluir na garrafa nos próximos anos.  Avaliação: 89/100 pts.++

2015-05-21 14.36.21

 

Vistalba Corte "A" um consistente blend de Malbec, cabernet Sauvignon e Bonarda brilhou mais uma vez
Vistalba Corte “A” 2011 um consistente blend de Malbec, cabernet Sauvignon e Bonarda brilhou mais uma vez

Vistalba Corte “A” 2011 – região: Vistalba/Mendoza – álcool: 15% – variedades: Malbec (87%), Bonarda (8%) e Cabernet Sauvignon (5%) – Importador: Domno do Brasil,  tel.: 54 – 3388  3999 ou www.domno.com.br – preço: R$ 300,00 – Quase retinto na cor, seus aromas são intensos e exibem notas convidativas de baunilha, tostado e chocolate sobre um fundo floral (violetas). Após algum tempo surgiu uma pontinha de frutas negras como amoras e ameixas, aportados provavelmente pela Malbec que é majoritária no corte. Na boca a opulência e elegância de seus taninos amáveis chamam a atenção por conta de sua textura fina e sedosa. Generoso no álcool (15% de álcool)  que não ofusca a fruta. Aveludado, redondo e sobretudo macio deixa uma destacada nota de chocolate no palato. Evoluirá  muito bem na garrafa  nos próximos anos. Avaliação: 91/100 pts.+

Espumante Moscatel: frescor e doçura na medida certa com apenas 7,5% de álcool
Espumante Moscatel: frescor e doçura na medida certa com apenas 7,5% de álcool

Espumante Casa Valduga Moscatel Reserva – safra: 2014 – álcool: 7,5% – região: Serra Gaúcha/RS – elaborado pelo método Charmat, exibiu cor palha claro brilhante. Perlage adequada, borbulhas de tamanho pequeno em quantidade satisfatória. Nos aromas alguma complexidade com tons florais sobre uma nota de mel. Na boca a sua entrada revelou um espumante macio, de corpo leve, acidez que promove bom frescor. Sente-se uma notinha de açúcar residual que não tem o condão de macular o conjunto como um todo, de bom equilíbrio gustativo e principalmente sem amargor. Sobre este espumante, informa o produtor que: “O espumante Reserva Moscatel 2014, elaborado com uvas cuidadosamente selecionadas por meio de colheita manual, foi o único espumante brasileiro a ser condecorado com medalha de Ouro na 22ª edição do “Concorso Enologico Internazionale Vinitaly”, em Verona, na Itália”. Avaliação: 88/100 pts.

O portfólio da Domno está se expandindo. Tem até Moscatel de Setúbal!
O portfólio da Domno está se expandindo. Tem até Moscatel de Setúbal!

Thasos Moscatel de Setúbal DOC 2008 – Álcool: 17% – Cor topázio brilhante. Aromas frutados com sugestões de caramelo, toranja, geleia de laranja e leve toque de mel. Na boca tem boa fruta, sendo um Moscatel suave, macio e muito fácil de beber. Tem bom equilíbrio entre acidez (frescor) e doçura. Amadurecido em tonel de carvalho por 24 meses, é ótimo para acompanhar sobremesas, especialmente as conventuais portuguesas. Avaliação: 89/100 pts. 

(Visited 1.083 times, 1.083 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *