No último dia 12 de abril de 2018, no Hotel Intercontinental, realizou-se a Prova Anual dos Vinhos do Douro e do Porto em São Paulo, que contou com a presença de importantes vinícolas da região demarcada do Douro. No evento destinado a profissionais e aberto ao público previamente inscrito, rótulos de diversas procedências puderam ser degustados ao lado de novos lançamentos. Houve a realização da prova comentada “A Diversidade de Estilos e Categorias do Vinho do Porto” e, na degustação aberta ao público, os vinhos do produtor “Domingos Alves de Sousa” (importadora Decanter) puderam ser provados.

O Grande Livro dos Vinhos – Publifolha – 1a. Edição – 2012, informa sobre esse produtor que: “auxiliado pelo filho Tiago, Domingos Alves de Sousa agora produz vinhos de mesa de alta qualidade no Douro. Ele tem cinco propriedades (Quinta da Gaivosa, Quinta do Vale da Raposa, Quinta das Caldas, Quinta da Estação e Quinta da Avaleira) no Baixo Corgo que, juntas, ocupam 110 ha. Domingos que de início só cultivava videiras, passou a fazer vinhos em 1991, com qualidade melhor ultimamente. O Gaivosa é um tinto tradicional, denso, bom para guarda. O Abandonado, de videira muito antigas da Quinta do Vale da Raposa, é melhor ainda. O denso, doce e maduro Vinha de Lordelo, de lotes selecionados da Quinta da Gaivosa, talvez seja o melhor”.  A seguir a descrição e avaliação dos vinhos degustados:

 

Branco da Gaivosa DOC Douro 2016 – Álcool: 12,5% – Variedades: Malvasia Fina, Gouveio, Arinto (vinhas com mais de 20 anos) – surpreendente branco duriense que na taça exibiu cor palha brilhante, quase translúcido com reflexo esverdeado. Aberto e muito intenso nos aromas  complexos com a fruta tropical despontando, mas seu aroma tem um toque que lembra fermentação maloláctica. No paladar, o frescor se destaca ao lado do forte acento cítrico e de frutas tropicais. Sua opulência tanto nos aromas como nos sabores lembra alguns bons brancos do Novo Mundo. Mineral, balanceado, sua qualidade está muito acima de seus congêneres. Avaliação: 90-91/100 pts.

 

Vale da Raposa Reserva DOC Douro 2015 – Álcool: 14% – Variedades: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinto Cão e Touriga Franca – importador: Decanter – intenso na cor, este Duriense exibiu aromas complexos com notas alicoradass, frutas negras sobre leve tostado. Boca no mesmo diapasão com taninos macios formando um perfil leve e fresco, de boa acidez, álcool integrado, frutado e de média persistência. Um vinho fácil de beber,  de boa tipicidade. Avaliação: 89/100 pts.+

Alves de Sousa Reserva Pessoal 2008 – Álcool: 14,5% – a demanda por esse vinho é grande, quando chegamos infelizmente a garrafa já havia se esgotado…

 

Domingos Alves de Souza “Quinta da Gaivosa” DOC Douro 2013 – Álcool: 14% – Variedades: Tinta Amarela, Touriga Nacional e Sousão – importador: Decanter – intenso na cor sem denunciar o peso de cinco anos, este Duriense exibiu aromas complexos com notas florais, tostadas sobre frutas negras. Boca no mesmo diapasão com taninos mastigáveis, suculentos, macios e aveludados, formando um conjunto denso, carnudo, alcoólico, profundo e dotado de  um elegante e longo fim-de-boca longo.  Avaliação: 91/100 pts.+

Abandonado Douro DOC 2013blend de vinte castas oriundas de vinhas muito velhas, com destaque para Sousão, Touriga Franca e Tinta Amarela – Álcool: 14,5% – infelizmente a garrafa já havia se esgotado quando fomos degustá-lo após a realização da Masterclass de vinhos do Porto, uma pena!

(Visited 135 times, 140 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *