A Nova Confraria reuniu-se na noite de 20.04.2018 para degustar às cegas tintos à base de Cabernet Sauvignon. Além deste redator, estiveram presentes os seguintes confrades: Ricardo, Mônica, Núbia, Sérgio, Cláudio e Patrícia.  A seguir a lista dos vinhos na ordem decrescente de preferências do grupo:

Apenas o primeiro vinho, Quinta do Crasto, não leva Cabernet Sauvignon na sua composição, por isso, não participou da degustação às cegas.

 

Champagne Drappier Carte Blanche Brut – álcool: 12,5% – variedades: Pinot Noir e Chardonnay – sem importador – Palha claro brilhante sem denúnciar o peso de cinco anos desde sua aquisição na loja Monalisa de Ciudad del Leste – Py. Análise organoléptica: perlage intenso, borbulhas de tamanho diminuto e de desprendimento constante e duradouro. Formação de coroa de espuma. Aromas abertos de leveduras, pão fresco e frutas secas com ampla sustentação na taça. Na boca impressiona por seu frescor e harmonia sobressaindo sua vigorosa acidez e suculência. Longo, intenso e persistente, é um champagne de elevado padrão, que infelizmente não é importado para o Brasil. Avaliação: 92/100 pts.+

 

A seguir os vinhos:

 

Morandé Edición Limitada Cabernet Franc 2008 – 14,5% álcool – vermelho rubi intenso com alguma profundidade. Aromas de perfil herbáceo, vegetal sobre um fundo de compota. Na boca é um vinho tânico (boa qualidade), que já está no ponto. Forte no álcool, denso, encorpado, tem na potência de suas taninos e facilidade para ser bebido algumas de suas qualidades, mas era de se esperar mais deste Cabernet Franc. Avaliação: 87/100 pts.+

 

Finca La Chamiza Martin Alsina Cabernet Sauvignon 2015 – Álcool: 15% – Região: Mendoza – Importador: Wine.com.br – Preço: 147,80 – vinho amadurecido por 12 meses em barricas de carvalho francês, seguidos por mais 12 meses em garrafa. Análise organoléptica: vermelho-rubi com reflexo violáceo com leve halo granada. Aromas complexos com notas de frutas vermelhas e negras como cereja, amora e ameixa sobre uma nota de chocolate. No paladar taninos um pouco secantes, uma ponta de álcool, boa acidez e corpo pleno, perfazendo um tinto concentrado, volumoso e de grande persistência final. Está próximo de seu auge. Avaliação: 88-89/100 pts.+

 

Marques de Casa Concha Cabernet Sauvignon 2014 – Álcool: 14% – Região: Vale do Maipo – Importador: VCT – Preço médio: R$ 110 – amadurecimento: 100% do mosto estagiou 16 meses em barricas francesas, 1/3 novas e 2/3 de 2° uso. Enólogo Marcelo Papa. Análise organoléptica: intenso e profundo na cor com discreto halo violáceo. Nos aromas, inicialmente uma  nota de barrica domina o conjunto, para minutos depois ceder espaço para frutas negras (ameixa, amora e groselha), tabaco e nuances defumadas. Na boca os taninos macios de textura firme confirmam as sensações olfativas com elegância e sedosidade. Firme, encorpado, enche o palato e causa intensa salivação. Em relação às safras anteriores, a madeira está menos perceptível. Um vinho clássico, que exibe sofisticação, esbanja tipicidade e que termina com ligeira austeridade. Avaliação: 89/100 pts.++

 

O rótulo do Don Maximiano 2011 está danificado em razão da adega climatizada –  blogdojeriel.jpeg

 

Don Maximiano 2011 – Álcool: 14% – Região: Aconcágua – Variedades: Cabernet Sauvignon (75%), 10% Carmenere (10%), 10% Petit Verdot (10%) and 5% Malbec (5%) – cor violeta profunda sem denunciar sete anos, seus aromas ainda sinalizam frutas vermelhas e negras, juntamente com notas de cassis, ameixas e figos. Seu caráter frutado está envolto em especiarias como cravo, canela e alcaçuz, acompanhados de um toque tostado (carvalho francês). Boa amplitude gustativa e grande profundidade resultam num vinho elegante e equilibrado com taninos finos. O palato confirma as frutas sinalizadas no nariz, acompanhados de notas de licor de cacau e café e toques de grafite. A acidez confere um invejável equilíbrio a este fabuloso tinto chileno. No geral, é um vinho de enorme complexidade e concentração que pressagia uma evolução muito favorável na garrafa nos próximos anos. Avaliação: 92/100 pts.++

 

Maculan Moscato Dindarello Veneto IGT 2005 – Álcool: 11% – Região: Veneto/Braganze – Importador: Expand – Amarelo palha brilhante sem denunciar treze anos de idade. Aromas complexos com ampla sustentação na taça. Deliciosas  notas de damascos, manga, casca de laranja e um toque cítrico.  No paladar a doçura logo se impõe, mas a acidez contrabalança o conjunto. Neste Dindarello o que impressiona é sua densidade e estrutura para um vinho com apenas 11% de álcool! Flui na boca por força de sua untuosidade com a fruta se destacando. Final muito longo e untuoso, remetendo o degustador às deliciosas notas olfativas iniciais. Avaliação: 91/100 pts.

 

Patrícia, Cláudio Boccardo e Sérgio Zupo

O Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2008, degustado pela primeira vez em 19/01/2012, mostrou excelente evolução na garrafa. Levado por este redator, foi degustado após a degustação dos Cabernets:

Quinta do Crasto Reserva Douro 2008, 14,5% de álcool, Vinhas Velhas (25 a 30 castas diferentes), R$ 178,50 – importador: Qualimpor – vermelho rubi intenso, profundo com halo violáceo nas bordas. Aromas abertos e complexos com frutas negras, especiarias, zimbro, madeira sobre discretas notas florais. Na boca a sua entrada revela um vinho de taninos macios, de textura fina e que dão personalidade ao vinho. Fruta e madeira integrados. Aliás, este Reserva apresentou uma quantidade de madeira bem superior às safras anteriores, todavia, os dez anos decorridos  promoveram sua completa integração, eis que o álcool, taninos e acidez estão plenamente entrosados sem destoar o conjunto. No retrogosto uma leve nota de caramelo. Avaliação: 91/100 pts.+

(Visited 135 times, 141 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *