Ontem realizou-se em São Paulo a degustação anual dos vinhos chilenos “8° Tasting Wines of Chile São Paulo – Brasil”, cujo post já encontra-se em fase de edição e elaboração, todavia, julgamos oportuno informar que a Viña Santa Rita, terceiro maior conglomerado vinícola chileno, cujos vinhos são amplamente conhecidos no Brasil contando, inclusive, com vários importadores, decidiu centralizar suas operações em São Paulo. O endereço ainda não foi divulgado, porém, quando tivermos faremos essa divulgação. Quem nos passou essa importante informação para o mercado foi oo Brand Ambassador da marca, Luis Alejandro Pérez – tel. 11 97346 7193 – e-mail: lperezl@santarita.cl. 

” A Santa Rita é uma das vinícolas mais empreendedoras e focadas na qualidade no Chile. Suas exportações atingem 1,8 milhões de caixas de vinho por ano para mais de 70 países. Tem uma longa e ilustre história que remonta a 120 anos para o amanhecer de produção de vinho no país e agora possui mais de 2.500 hectares de vinhedos nas melhores e mais representativas regiões de vinho no Chile. Seu foco é contínuo no terroir, na inovação e no desenvolvimento de marca e conta com enólogos de grande experiência na produção de vinhos que sejam consistentes em qualidade, distintivos e únicos “.  A seguir nossas impressões sobre os vinhos degustados dia 08.08.2018 em SP:

Santa Rita Triple C 2014 – álcool: 14,5% – região: Vale do Maipo – Variedades: Cabernet Franc (60%), Cabernet Sauvignon (35%) e Carménère (5% respectivamente) – Este vinho teve uma grande mudança no estilo e agora está abordável na juventude o que é um fato alentador. No passado “um tijolo de madurez e extração (Descorchados 2017)”, agora “menos é mais”. Análise organoléptica: vermelho-rubi violáceo quase retinto com borda púrpura. Nos aromas a fruta está evidente, secundada  por notas de especiarias e café torrado. Na boca a sua entrada revelou um vinho fino de taninos macios, a fruta não está subjugada pela madeira como antes, mas algum tempo de envelhecimento na garrafa lhe fará bem. Acidez mediana e concentração de sabor são outros de seus destaques deste blend de variedades bordalesas que termina longo e macio. Avaliação: 90/100 pts.+

Santa Rita Pehuén Carménère 2013 – álcool: 14,5% – regiãos: Colchágua (Apalta) – na mesma senda do Triple C, este opulento Carménère também sofreu mudanças na sua elaboração e hoje, mais leve e frutado, é um dos melhores representantes de Colchágua, quiçá de todo Chile. Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso, profundo a denotar juventude. Aromas finos, complexos com notas alicoradas sobre pimenta negra, mentol e cedro. Os aromas se distanciam do padrão seguido pela Carménère mas aqui a clara opção é pela elegância. Na boca subscreveu as sensações olfativas. Taninos volumosos de fina textura. Acidez muito boa para um Carménère. Fruta e madeira coexistem pacificamente, álcool generoso sem incomodar, denso, profundo, longo, vai longe na garrafa, muito longe!!  Avaliação: 93/100 pts.+

Santa Rita Bougainville Petit Syrah 2013 – Variedades: Petite Sirah (95%) e Syrah (5%) – Álcool: 14,5% – Região: Alto Jahuel/Vale do Maipo – O “Grande Livro dos Vinhos da Folha de S. Paulo” assim define a Petite Sirah: “variedade de uva tinta que tem ancestrais em Montpellier, no vale do Rhône (cruzamento natural da Syrah com a Peloursin, variedade de menor expressão) e que está mais intimamente ligada à Califórnia. Não há nada de pequeno quanto a seu colorido, corpo ou quantidade de taninos. Revela sabores adequados, mas discretos de amora-preta e, às vezes, de pimenta preta. Possui estrutura para envelhecer de dez a vinte anos. A Petite Sirah foi usada em cultivo a ssociado com a Zinfandel, mais popular, e outras variedades, em misturas de campos comuns do século XIX. Até hoje, muitas vezes é misturada em até 25% para fortificar o Zinfandel, menos tânico e de colorido tipicamente mais claro.” Análise organoléptica: um tinto potente, de cor impenetrável, sem aromas vegetais, herbáceos ou de fruta em compota. De grande personalidade, com especiarias e ervas aromáticas dominando o conjunto, tem taninos de aço de tão firmes. Pleno de acidez, de grande suculência, longa persistência, no momento ressentiu-se só  de um pouco de fruta, mas é um vinho que necessita de mais algum tempo para se mostrar plenamente. Avaliação: 92/100 pts.++

Santa Rita Casa Real Cabernet Sauvignon 2014 – álcool: 14,5% – região: Alto Maipo – vinho amadurecido durante dezesseis meses em barricas de carvalho francês de primeiro uso – análise organoléptica: vermelho-rubi intenso, profundo com reflexo violáceo e halo púrpura. Apresenta um aroma complexo de ameixas maduras com um fino toque de menta e muito licor de cassis. Na boca é elegante, de alta concentração e sólida estrutura a demonstrar seu enorme potencial de envelhecimento. É um vinho clássico, maduro, sólido, complexo que seguramente é um dos melhores representantes da variedade fora de Bordeaux. Persistente, interminável, seguramente vai continuar a evoluir na garrafa nos próximos 10 anos. Avaliação: 94/100 pts.++

Viña Santa Rita – Blogdojeriel.jpeg

 

(Visited 84 times, 85 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *